Isabel foi um 'mulherão' que fez o vôlei se tornar profissional, diz amiga Jackie

MACEIÓ, AL (FOLHAPRESS) - A morte da ex-jogadora de vôlei Isabel Salgado, aos 62 anos, foi um baque para Jaqueline Silva, a Jackie. Amigas de infância, parceiras nas quadras e na areia, as duas sempre tiveram a vida pessoal e esportiva associada. "Eu não esperava acordar com uma notícia devastadora dessas", disse.

"Conheci a Isabel quando ainda éramos crianças, aos nove anos de idade", disse. "Minha grande amiga, uma pessoa que nunca contei que fosse perder, porque sempre foi tão presente, com uma força absurda personificada nela. Estudamos juntas, começamos juntas no vôlei, jogamos em todas as categorias da seleção que você possa imaginar e fizemos a dupla como a coroação dessa amizade", contou.

Em quadra, as duas estiveram juntas nos Jogos Olímpicos de Moscou (1980) e Pequim (1984), quando a seleção brasileira estreava em competições de alto nível. A profissionalização do vôlei do país, segundo Jackie, passa muito pela imagem de Isabel, considerada uma "musa" quando o esporte ainda engatinhava.

"Ela é um mulherão. Jogou vôlei no mais alto nível e fez com que o esporte saísse do caráter de amador para se tornar profissional. Era musa quando o esporte ainda não era nada. Uma pessoa intensa, com uma história linda dentro e fora de quadra. Fez tudo isso ainda sendo mãe, com uma família linda. São muitos momentos importantes na vida de Isabel", continuou.

"O que posso falar é que tenho muita felicidade em ter compartilhado praticamente a vida com ela. Nunca deixamos de nos falar, sempre estivemos próximas. A vida traz altos e baixos, mas Isabel sempre soube vencer os desafios com muita determinação. É bom falar dela porque as pessoas precisam ter a dimensão de quem foi Isabel Salgado e o que ela representou para o esporte brasileiro", complementou.

Isabel Salgado morreu no hospital Sírio Libanês, em São Paulo. A ex-atleta foi acometida de uma pneumonia que se agravou, levando a um quadro de síndrome aguda respiratória. Na última segunda-feira (14), Isabel havia sido anunciada pelo vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, como integrante do grupo de trabalho de esporte na transição de governo Lula.

Ela é mãe dos atletas Maria Clara Salgado, Carolina Solberg e Pedro Solberg, além de Pilar e de Alisson, que adotou em 2015. Isabel formou dupla com Maria Clara e Carolina. Depois, se dedicou a fazer parte da gestão das carreiras dos filhos atletas.

Segundo a família, o funeral está programado para às 11h desta quinta-feira (17), no Crematório e Cemitério do Caju, no Rio de Janeiro.