Iraniano ouro no tiro é acusado de integrar organização terrorista e pode perder medalha

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Foroughi celebrou o ouro no tiro esportivo (Kevin C. Cox/Getty Images)
Foroughi celebrou o ouro no tiro esportivo (Kevin C. Cox/Getty Images)

Um grupo iraniano pediu nesta quinta-feira que o Comitê Olímpico Internacional (COI) suspenda a medalha conquistada pelo atleta do país Javad Foroughi na Olimpíada de Tóquio. O atirador é acusado de participar de uma organização terrorista.

Foroughi faturou o ouro na prova de pistola com ar 10 metros. O grupo United for Navid, porém, enviou requerimento formal ao Comitê de Ética do COI pedindo que o resultado seja cancelado e uma investigação seja aberta imediatamente.

Leia também:

De acordo com o documento, o atirador seria “um membro atual e antigo” de um braço da Guarda Revolucionária Islâmica no Irã, organização que os Estados Unidos classificaram como terrorista.

“Premiar com medalha de ouro olímpica um membro de uma organização terrorista é uma afronta terrível aos atletas e ideais olímpicos e deixa uma grave mancha negra no COI”, argumentou o United for Navid.

Segundo relatos, Foroughi trabalhava como enfermeiro da organização terrorista e teria, inclusive, aprendido com seus membros a atirar com tamanha precisão. Momentaneamente, porém, a medalha do iraniano está mantida e ele já voltou com ela para o país. O COI ainda não se manifestou sobre o assunto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos