"Ir para o Barcelona seria como deixar o Tottenham e defender o Arsenal", diz Pochettino

Mauricio Pochettino sugeriu que nunca aceitaria um emprego no Barcelona, explicando que seria como deixar o Tottenham para assumir o Arsenal.

O treinador de 45 anos é apontado como um possível sucessor de Luis Enrique, que deixará o Camp Nou ao término de seu contrato, no fim da atual temporada.

Pochettino revela que se encontrou Josep Maria Bartomeu, presidente do Barça, na Catalunha, durante a data Fifa, mas o comandante dos Spurs assegura que a sua torcida é pelo Espanyol e descarta uma mudança para o rival.

"Sou um torcedor do Espanyol. Creio que não precise falar muito sobre o fato", disse o argentino que ganhou duas Copas Del Rey como jogador, antes de se tornar técnico do clube em 2009.

"Isso é como se, um dia, o Daniel Levy [presidente do Tottenham] me demitisse. Seria impossível treinar o Arsenal alguns anos depois. No futebol, é muito difícil manter valores como lealdade, mas lealdade e honestidade, para mim, vieram antes de me tornar jogador ou técnico. Sou um torcedor do Espanyol e amo o clube. Agora, sou Tottenham e seria impossível me transferir para o Arsenal um dia", comentou.

Josep Maria Bartomeu Barcelona


(Foto: Getty Images)

Questionado sobre o encontro com Bartomeu, ele acrescentou: "Foi uma coincidência em um bar, em Barcelona, na terça-feira (28). Eu o conheço há muito tempo, antes de ele se tornar presidente do Barcelona. Havia muitas pessoas ao nosso redor".

"Nós nos cumprimentamos, ficamos cinco minutos juntos, mas essa era a realidade. Você sabe que depois disso é impossível parar os boatos", afirmou.