Invicto fora de casa, Fluminense tenta primeira vitória no Equador por semifinal da Libertadores

·3 minuto de leitura


É a hora da verdade para o Fluminense. Depois do empate por 2 a 2 no Maracanã, o Tricolor decide, nesta quinta-feira, a vaga nas semifinais da Libertadores contra o Barcelona, em Guayaquil (EQU), às 21h30 (de Brasília). Invicto fora do Rio de Janeiro, o Tricolor tenta quebrar indigestos números: nunca venceu no Equador pela competição, vem de quatro derrotas seguidas como visitante e enfrenta uma equipe com 100% de aproveitamento em casa.

A partida tem transmissão em tempo real do LANCE!. O Flu precisa de uma vitória no Estádio Monumental ou de um empate por três ou mais gols. A única vez em mata-mata que houve uma situação parecida resultando em classificação foi em 2005. Na Copa do Brasil, o Fluminense empatou em casa com o Ceará por 2 a 2, mas venceu por 4 a 1 no Castelão. Em 2004, contra o Grêmio, o Tricolor carioca acabou derrotado por 4 a 1 em Porto Alegre na volta.

Veja todos os confrontos da Libertadores

​Na Libertadores, o Flu já teve um 2 a 2 na partida de ida da semifinal de 2008, contra o Boca Juniors (ARG), mas naquela ocasião decidiu em casa, vencendo por 3 a 1 em partida histórica. Na competição, o empate por esse placar com o Barcelona foi apenas o terceiro da história, somando-se também a um jogo com o Argentino Juniors (ARG) em 2011.

Na Copa do Brasil, há alguns exemplos, mas com mandos inversos. Houve um 2 a 2 com o Goiás fora de casa em 2009 e 1 a 1 no Rio de Janeiro. Em 2006, também em Goiânia, o Flu fez este placar contra o Vila Nova, mas venceu por 4 a 0 em casa. Em 2004, empate com o Juventude no Alfredo Jaconi e vitória por 2 a 1 no Maracanã. Em 1994, o Linhares eliminou o Flu após igualdade de 2 a 2 no Rio e 1 a 1 no Espírito Santo.

No Equador, são quatro jogos, mas algumas lembranças amargas. Um empate por 0 a 0 com a LDU pela fase de grupos da Libertadores de 2008 e a derrota por 4 a 2 para a mesma equipe no jogo de ida da final daquele ano. Em 2013, o Fluminense foi derrotado pelo Emelec por 2 a 1 nas oitavas de final, mas chegou às quartas após vencer no Rio.

A última viagem até o país foi justamente para Guayaquil, onde o Flu enfrentou o Junior Barranquilla (COL), em partida transferida em função das manifestações na Colômbia. O duelo terminou empatado em 1 a 1. Na Sul-Americana, esse retrospecto já fica em duas vitórias e duas derrotas.

Há um retrospecto que é mais positivo para o Fluminense: justamente a campanha nesta Libertadores. São três vitórias e um empate jogando fora de casa, totalizando um aproveitamento de 83,33%. Dentre esses triunfos, as duas melhores partidas da equipe no ano com o 3 a 1 sobre o River Plate (ARG) em pleno Monumental de Núñez e o 2 a 0 contra o Cerro Porteño (PAR) em Assunção.

Na atual temporada, são nove vitórias, cinco empates e oito derrotas, sendo quatro delas seguidas nas últimas partidas. Depois de bater o Cerro no Paraguai, o Flu perdeu para Palmeiras, Criciúma, América-MG e Internacional.

O Fluminense chega ao Equador pressionado por três partidas sem vencer e prestes a fazer o jogo da vida em busca de uma vaga na semifinal da Libertadores. A partida acontece às 21h30 (de Brasília).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos