Investimento no futebol, salários e contas: Botafogo traça planos para os R$ 50 milhões de John Textor

·1 min de leitura


A oferta vinculante assinada pelo grupo americano Eagle Holding e o Botafogo precisa ser aprovada pelo Conselho e Assembleia Geral para dar sequência ao projeto. Em caso de aprovação, John Textor inicia o investimento no clube antes mesmo de assumir a gestão. O empresário norte-americano deve fazer um empréstimo-ponte de R$ 50 milhões. Segundo o “Ge”, a diretoria já traçou os planos para utilizar dessa verba.

> Textor projeta estruturação do Botafogo e lida com 'idolatria' da torcida alvinegra

A diretoria planeja utilizar os R$ 50 milhões para quitar a folha de dezembro, metade do 13º salário, contas do dia a dia, dívidas a curto prazo e investimento no futebol. Dessa forma, a ideia é que o valor sirva para o pagamento da folha salarial, que tende a ser aumentada para a disputa da Série A.

Enquanto o Botafogo não recebe a cota de televisão da disputa da Série A, o empréstimo-ponte serve para viabilizar a operação do clube neste primeiro momento. Com os R$ 50 milhões, o Alvinegro inicia o investimento para a montagem de uma equipe competitiva para o Brasileirão.

Vale lembrar que esses R$ 50 milhões estão dentro dos R$ 400 milhões que John Textor deve investir. Dos R$ 350 mi restantes, R$ 100 mi serão à vista após a assinatura dos documentos definitivos, outros R$ 100 mi em 12 meses, mais R$ 100 mi em 24 meses e R$ 50 mi em 36 meses.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos