Investigador admite que conseguiu informações de Meghan Markle de forma ilegal

Giselle de Almeida
·1 minuto de leitura
O príncipe Harry e Meghan Markle. Foto: reprodução/Instagram/sussexroyal
O príncipe Harry e Meghan Markle. Foto: reprodução/Instagram/sussexroyal

Um investigador particular norte-americano revelou ter usado meios ilegais para obter informações sobre Meghan Markle no início de seu relacionamento com o príncipe Harry. Segundo a BBC, Daniel Hanks foi contratado pelo tabloide britânico "The Sun" e conseguiu dados como o número de seguro social, número de telefone e endereço da duquesa de Sussex. 

De acordo com a publicação, nos Estados Unidos, investigadores particulares têm acesso total a bancos de dados que contêm informações pessoais, em algumas circunstâncias, como casos judiciais. A permissão não inclui publicações para um veículo de comunicação.

Leia também:

Hanks também conseguiu informações sobre familiares de Meghan, seu ex-marido e um antigo namorado.

Um editor do "The Sun", no entanto, alegou que orientou o investigador a fazer a pesquisa por meios legais. 

A BBC publicou ainda uma declaração de um porta-voz do casal sobre o assunto. "O Duque e a Duquesa de Sussex sentem que hoje é um momento importante de reflexão para a indústria da mídia e a sociedade como um todo, pois este relatório investigativo mostra que as práticas predatórias do passado, causando danos irreversíveis para famílias e relacionamentos", diz o representante.

Em sua recente entrevista à apresentadora Oprah Winfrey, Harry e Meghan comentou sua relação com os tabloides britânicos enquanto viviam no Reino Unido e afirmaram que isso criou um "ambiente tóxico" de "controle e medo".