Intocável no gol da Inglaterra, Pickford se aproxima do seu jogo 50 pela seleção


Não há sombras para Jordan Pickford debaixo das traves na seleção da Inglaterra. Titular absoluto, o goleiro completará 50 partidas pelo seu país neste sábado (10), quando os ingleses têm a chance de derrubar os atuais campeões mundiais, a França, nas quartas de final da Copa do Mundo, e chegar à semifinal da competição pela segunda vez consecutiva.

Assim como tem sido este ano no Qatar, Pickford foi titular na campanha do English Team na Rússia, há quatro anos. A sua estreia como titular defendendo a Inglaterra havia acontecido somente sete meses antes do último Mundial, e ele conquistou a vaga de vez às vésperas do torneio. Para isso, ele superou Joe Hart, titular da meta inglesa na Copa de 2014, no Brasil, e que também esteve no plantel na África do Sul, em 2010.

+ Relembre vezes que técnicos de seleções barraram medalhões na Copa do Mundo

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

E a escolha muito se justifica pela relação com o técnico Gareth Southgate, com quem trabalhou na seleção sub-21 da Inglaterra, entre 2015 e 2016. Foi Southgate o responsável pela primeira convocação de Pickford à seleção principal, em outubro de 2016. Menos de três meses antes, o atleta disputou o campeonato europeu da categoria anterior.

E esse relacionamento de confiança com o técnico foi fundamental para que Jordan Pickford em nenhum momento tivesse a sua vaga como goleiro titular da Inglaterra ameaçada. É bem verdade que no ciclo até o Mundial deste ano o jogador ficou no banco de reservas em algumas ocasiões, inclusive em alguns jogos no início deste ano, mas no ‘para valer' o atleta do Everton foi o escolhido para jogar a Copa do Mundo. Ele disputou todos os minutos possíveis do torneio até aqui.

Gareth Southgate - Inglaterra 6 x 2 Irã - Copa do Mundo 2022
Gareth Southgate - Inglaterra 6 x 2 Irã - Copa do Mundo 2022

Pickford e Southgate celebram uma das três vitórias da Inglaterra nesta Copa (Foto: Giuseppe CACACE / AFP)

A parte mental e o poder de liderança de Pickford pode explicar a decisão de Gareth Southgate em mantê-lo entre os titulares, mesmo após críticas do preparador de goleiros da Inglaterra, Martyn Margetson, à algumas posturas técnicas do defensor.

- Ele (Pickford) tem sido excepcional nos tiros que tivemos. E isso lhe dá confiança. Às vezes, o mais importante é lidar com ser o número 1 da Inglaterra. Isso vem com um nível diferente de responsabilidade. Ele lidou com isso impecavelmente - destacou Southgate.

No fim de 2020, Margetson participou de um programa do canal esportivo britânico Sky Sports, onde analisou algumas imagens de defesas, incluindo algumas de Pickford pelo Everton. Na ocasião, o preparador de goleiros disse que a curvatura do joelho do titular da meta inglesa fazia com que as suas mãos ficassem mais baixas na hora de praticar as defesas.

- Os goleiros com quem trabalho, a posição da mão é absolutamente fundamental para o sucesso. Elas são as coisas mais rápidas que podem reagir e, se as suas mãos estiverem muito baixas, às vezes a distância que ela precisa percorrer é como nesse caso (apontou na imagem reproduzida em vídeo), que a bola é rebatida acima da cabeça de Jordan (Pickford). A curvatura do joelho é muito grande, o que significa que as mãos estavam praticamente nos tornozelos.Se ele começar com as mãos um pouco mais altas, a defesa fica mais fácil. Por mais que ele tenha feito uma defesa brilhante, e essa é a principal preocupação aqui, se as suas mãos começassem mas altas isso tornaria a defesa um toque mais fácil - destacou Margetson.

+ Confira a tabela da Copa do Mundo e simule os jogos das quartas de final

- Quando você chega ao nível de Jordan Pickford, esse tipo de detalhe, sua posição final definida quando os atacantes fazem contato com a bola, são as escolhas que definem como os goleiros ganham e perdem jogos - concluiu o profissional.

Pickford e Martyn Margetson
Pickford e Martyn Margetson

Pickford e Margetson durante a Copa do Mundo de 2018, na Rússia (Foto: Divulgação/FA)

Na semana passada, Southgate minimizou qualquer problema que pudesse haver entre Pickford e Martyn Margetson por conta das declarações dadas pelo treinador de goleiro, que já ultrapassam um ano.

- Há uma compreensão muito boa de Martyn sobre o que Jordan (Pickford) precisa, colocando-o nos hábitos e comportamentos certos todos os dias para obter o melhor dele. Essa relação é saudável - disse o treinador da seleção inglesa durante uma entrevista coletiva.

No ano passado, Pickford chegou o mais perto possível do seu ápice pela seleção inglesa, quando defendeu duas cobranças de pênaltis na decisão da Eurocopa contra a Itália. Porém, três atletas da Inglaterra (Rashford, Saka e Sancho) desperdiçaram as suas batidas, e os ingleses perderam a chance de vencerem o título inédito em pleno estádio Wembley, em Londres.

Agora, o goleiro tem uma outra grande oportunidade de escrever definitivamente o seu nome no futebol do seu país, sendo o segundo goleiro a ser campeão mundial com a Inglaterra. Até aqui, somente o lendário Gordon Banks conseguiu, em 1966. Para chegar até a conquista faltam três jogos, mas talvez o mais difícil seja neste fim de semana, quando Pickford terá que parar um ataque com, nada mais, nada menos, Antoine Griezmann, Olivier Giroud e Kyllian Mbappé, que, até o momento, é o artilheiro do Mundial, com cinco gols marcados.