Internet rápida em todo o mundo: como funciona a Starlink?

Redação Finanças
·1 minuto de leitura

Quem se lembra daquele barulhinho irritante da internet discada, sabe como a nossa conexão na web evoluiu nos últimos anos. Mas, para o insaciável Elon Musk, ainda é pouco. A rede Starlink, projeto desenvolvido pela Space X, pretende oferecer uma internet mais rápida, mais barata e que pegue em qualquer lugar do mundo, até no meio do deserto. E tudo por meio de satélites.

Veja também

Na verdade, a internet hoje já funciona por satélites que ficam em pontos fixos, girando junto com a rotação da Terra, mas há 35 mil quilômetros de distância.

A longa distância atinge um número maior de antenas, mas deixa na mão quando o assunto é latência - ou o tempo que o sinal leva para ir e voltar do espaço.

Para resolver o problema, a Starlink reduziu a distância para 550 quilômetros, com milhares de pequenos satélites que orbitam livremente e conversam entre si, formando uma enorme constelação.

A ideia de Musk é cobrir a Terra com os satélites, permitindo que qualquer lugar tenha internet boa, sem precisar esperar esse vídeo aqui ficar carregando por vários minutos, por exemplo.

Até o momento, mais de mil já foram lançados em órbita, mas a fase de testes prevê 12 mil lançamentos. Se tudo der certo, a estimativa é que esse número chegue a 42 mil.

É... Daqui a alguns anos aquela desculpa que não conseguiu responder uma mensagem porque estava sem sinal vai cair por terra.