Interino do Palmeiras elogia Raphael Veiga e explica Felipe Melo no meio

LANCE!/NOSSO PALESTRA
·2 minuto de leitura


Após a vitória do Palmeiras por 3 a 0 sobre o Atlético-MG, o treinador interino da equipe paulista, Andrey Lopes, concedeu a sua última entrevista coletiva como comandante do Verdão e falou sobre a atuação de Raphael Veiga, meia que marcou um dos gols do confronto e que tem se destacado nas últimas partidas.

– É um conjunto das coisas. Veiga tem muita qualidade. Tem valências técnicas e de velocidade e teve sequência de jogos comigo. Com essa qualidade, conseguiu se desenvolver junto dos demais. O pedido de chegar na área foi meu sim. Dentro do futebol moderno, um meia, um armador tem que chegar na área, tem que tá ali pra fazer gol. E eu cobro muito dele, cobro do Zé Rafael, do Lucas Lima, do Scarpa. O meia tem que chegar na área, fazer gol, participar. E tem que ajudar na marcação também. O futebol hoje exige várias valências do cara e o Veiga tem essas valências.

Raphael Veiga
Raphael Veiga

Veiga marcou o primeiro gol da vitória do Verdão sobre o Atlético (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)


O auxiliar falou, também, sobre Felipe Melo, que passou a atuar como zagueiro em 2020, mas, após a demissão de Luxemburgo, voltou à sua posição de origem.

– O Felipe vinha jogando como zagueiro. E uma saída de três é uma coisa que a gente faz e é usada por outros times também. Com a qualidade dele, do Luan e do Gómez, por que não fazer uma saída de três? Seriam três zagueiros naquele momento e o Felipe, vindo pra frente, seria um volante. Então, a qualidade dele de marcação e posicionando na frente do Gustavo e do Luan, foi tranquilo. Executou como a gente tinha planejado.

Por fim, Andrey Lopes elogiou a atuação de Rony, que chegou a ser muito contestado pela torcida, mas ganhou espaço no time titular e é uma peça importante no esquema de jogo palmeirense.

– A gente fica falando individualmente, mas o mais importante é conjunto, que propicia a eles o destaque individual. O Rony tem uma velocidade incrivel, ajuda muito a marcação, cumpre a função que lhe é dada. O que eles tem que entender é que é um conjunto. Não adianta um tomar uma ação e os outros esperarem. Ou toma a ação em conjunto, ou não toma. São 11 dentro de campo. A gente treina para isso. O Rony encaixou no modelo que a gente montou pra esses jogos, com a velocidade dele e a saída em contra-ataque.

O Palmeiras entrará em campo novamente na próxima quinta-feira (05), às 19h (horário de Brasília), contra o Red Bull Bragantino, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. A partida será a primeira de Abel Ferreira, novo treinador do Alviverde, no comando técnico da equipe.