Inter e Miguel Ángel pecaram - estreia em Libertadores, e na altitude, não é para surpresas

Fabio Utz
·1 minuto de leitura

Prever o que vai acontecer em um jogo realizado na altitude de La Paz é quase impossível, mas é fato que o Internacional decepcionou em sua estreia na Libertadores. Correu pouco, errou demais e não fez frente ao pequeno Always Ready. A derrota por 2 a 0 em solo boliviano deixa, sim, algumas lições. A principal? Atenção aos detalhes.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O próprio técnico Miguel Ángel Ramírez falou, após o duelo, que o Colorado foi surpreendido com a estratégia do rival. Só que isso, em se tratando de clube grande, não pode acontecer. É verdade que o treinador adversário estava recém chegando e trouxe ideias novas para o campo, mas era preciso estar prevenido. E, mesmo diante de algo inesperado, a reação deveria se dar quase que imediatamente.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Com Libertadores não se brinca. Todos sabem que se trata de uma competição traiçoeira, e o Inter deu brechas para a surpresa, também, ao abrir mão de nomes como Patrick, que ficou no banco de reservas e sequer entrou. Estreia nessas circunstâncias não é hora para teste. E Miguel Ángel tinha que saber disso. Dentro e fora das quatro linhas, tudo foi aquém da expectativa. É bom abrir o olho desde já.

Para mais notícias do Internacional, clique aqui.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.