Inter coloca titulares, bate o Atlético-GO e avança na Copa do Brasil

Futebol Latino
·3 minuto de leitura
RS - Porto Alegre - 03/11/2020 - COPA DO BRASIL 2020, INTERNACIONAL X ATLETICO-GO - Thiago Galhardo jogador do Internacional comemora seu gol com jogadores do seu time durante partida contra o Atletico-GO no estadio Beira-Rio pelo campeonato Copa do Brasil 2020. Foto: Fernando Alves/AGIF
RS - Porto Alegre - 03/11/2020 - COPA DO BRASIL 2020, INTERNACIONAL X ATLETICO-GO - Thiago Galhardo jogador do Internacional comemora seu gol com jogadores do seu time durante partida contra o Atletico-GO no estadio Beira-Rio pelo campeonato Copa do Brasil 2020. Foto: Fernando Alves/AGIF

Depois de um primeiro tempo abaixo da crítica para Internacional e Atlético-GO no estádio do Beira-Rio, a etapa complementar teve não apenas a inclusão de peças como Edenílson e Thiago Galhardo, mas também o efeito prático da melhora do confronto que terminou com vitória por 2 a 1 do Colorado e vaga nas quartas de final da Copa do Brasil.

DRAGÃO AVANÇADO, MAS SEM CONCLUIR

Não somente pela desvantagem no agregado, mas também tentando capitalizar a escalação de força teoricamente reduzida do Inter, a estratégia estabelecida pelo Atlético foi de avançar suas linhas ofensivas e forçar o erro do adversário já na saída de bola, algo que acabou mitigando bastante as oportunidades do time gaúcho atacar. Ao ponto do primeiro chute do Inter ter ocorrido apenas aos 22 minutos e que sequer foi na direção da meta de Jean.

Se o time goiano era quem tinha a postura mais adiantada e parecia mais próximo de ser insinuante contra Marcelo Lomba, para fazer o trabalho de criação, a equipe dirigida por Eduardo Souza não conseguia ser efetiva na transformação da movimentação à frente em chutes perigosos, deixando a partida tendo como maior figura de perigo na etapa inicial o bonito chute de esquerda dado de primeira por Nonato que forçou Jean a cair nela para espalmar.

ARTILHEIRO EM CAMPO, SEM PLACAR EM BRANCO

Com apenas nove minutos depois de entrar na partida, o artilheiro do Brasileirão e também do Inter na temporada, Thiago Galhardo, marcou presença com o seu faro de gol. Dominando a bola na intermediária de ataque, Nonato bateu forte e forçou Jean a não conseguir defender de primeira, mas o camisa 1 do time goiano soltou a bola justamente nos pés de Galhardo que o driblou e tocou para o gol vazio.

GOLPE DE MISERICÓRDIA

Necessitado de buscar ao menos dois gols para levar a eliminatória as penalidades, o Atlético avançou suas linhas e até conseguiu boas finalizações (diferente da etapa inicial) com Júnior Brandão e Chico levando certo perigo a Lomba. Todavia, a precisão fez diferença quando, no toque de Edenílson em jogada de velocidade no ataque do Colorado, Rodinei driblou a marcação e bateu, mesmo com o pé trocado, com muita categoria no ângulo de Jean.

NA PRIMEIRA DEU, NA SEGUNDA...

Buscando o resultado que beirava a "Missão Impossível" a equipe de Goiânia quase conseguiu balançar as redes pela primeira vez no Beira-Rio quando Júnior Brandão bateu forte na direção do gol e o zagueiro Zé Gabriel tirou em cima da linha. O mesmo Júnior teve outra chance semelhante e bateu na diagonal bola que passou por Marcelo Lomba e Zé Gabriel até tentou, mas não evitou a diminuição da vantagem.

FICHA TÉCNICA
​INTERNACIONAL 2 x 0 ATLÉTICO-GO

Local: Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
Data e hora: 03/11/2020 - 21h30
Árbitro: Felipe Fernandes de Lima (MG)
Assistentes: Felipe Alan Costa de Oliveira e Celso Luiz da Silva (ambos MG)
VAR: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)
Cartões amarelos: Yuri Alberto, Nonato (INT); Gilvan, João Victor (ACG)
Cartões vermelhos:
Gols: Thiago Galhardo (9'/2°T), Rodinei (31'/2°T)

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba; Rodinei, Zé Gabriel, Victor Cuesta e Moisés; Nonato, Musto, Johnny (Edenílson, no intervalo) e Patrick (D'Alessandro, aos 35'/2°T); Yuri Alberto (Abel Hernández, aos 28'/2°T) e Leandro Fernández (Thiago Galhardo, no intervalo, e Praxedes, aos 38'/2°T). Técnico: Eduardo Coudet.

ATLÉTICO-GO: Jean; Luan, João Victor, Gilvan e Nicolas; Willian Maranhão, Marllon Freitas, Janderson e Matheus Vargas (Wellington Rato, aos 21'/2°T); Chico (Matheuzinho, 32'/2°T) e Hyuri (Júnior Brandão, aos 12'/2°T). Técnico: Eduardo Souza.