Inspirado em Romário e Ronaldo, brasileiro de 19 anos tenta deslanchar no PSV

Yahoo Esportes
Mauro Júnior saiu do interior de SP e agora está na Holanda (Divulgação)
Mauro Júnior saiu do interior de SP e agora está na Holanda (Divulgação)

Por Guilherme Dorini (@guidorini), de Londres

É cada vez mais comum nos depararmos com brasileiros que quase não disputaram uma partida como profissional no Brasil e já estão jogando em clubes tradicionais da Europa. Mauro Júnior é mais um deles. Revelado pelo Desportivo Brasil, o meia-atacante apareceu na Copa São Paulo e, com passagens pelas categorias de base da seleção, chamou a atenção do PSV, da Holanda, que o apresentou no ano passado com a mística camisa 10.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Você já viu o novo app do Yahoo Esportes? Baixe agora!

Mauro sempre foi precoce – no melhor sentido da palavra. Com apenas 15 anos, já atuava na equipe sub-20 do Desportivo Brasil. E não era um mero coadjuvante. Mesmo com muito menos idade que seus companheiros – e rivais -, ele se destacava: até mesmo balançou as redes em uma partida contra o Paysandu, pela Copa São Paulo de 2015.

No mesmo ano, esteve no grupo da seleção brasileira sub-17, que acabou com o título do Sul Americano da categoria disputado no Paraguai. É verdade que foi reserva naquela competição, mas já era um grande feito, já que ele, nascido em 1999, era um ano mais novo que a maioria dos convocados – o que é considerado um grande feito quando falamos de categoria de base.

Como jogadores brasileiros só podem assinar contrato com equipes do exterior aos 18 anos, Mauro, que estava em contato com os holandeses aos 17, precisou esperar completar a maioridade para decretar sua ida ao futebol holandês. O período de espera, e de mais testes, serviu para ajudar em sua adaptação ao novo país – seu contrato com o clube vai até 2022.

“Considero que minha adaptação foi razoavelmente tranquila, pois já tinha conhecido a estrutura do clube e um pouco das características do futebol europeu, mais especificamente o holandês. Passei por dificuldades normais de um estrangeiro, que foram o frio, um pouco da saudade e o idioma, porém essa talvez tenha sido a menor delas, pois já vim me comunicando razoavelmente bem em inglês, e ao chegar aqui foi só desenvolver”, contou em entrevista ao Yahoo Esporte.

Leia mais:
– 
Neymar diz que juiz “faltou o respeito” com jogadores do Napoli– 
Casa e coração: os ídolos compartilhados de Atlético-PR e Flu– Saiba do que o Bota precisa para escapar da degola 

Depois de uma passagem pelo sub-21 do PSV, Mauro foi alçado ao profissional. E não demorou para brilhar. Ele precisou de apenas 26 minutos para marcar seu primeiro gol no Campeonato Holandês em sua estreia pela equipe principal – o quarto da goleada por 5 a 2 sobre o VVV-Venlo.

Pela posição, estilo de jogo, pouca idade e nacionalidade, seria impossível não compará-lo com Romário e Ronaldo, que começaram suas respectivas carreiras na Europa também no PSV e que servem de inspiração para Mauro.

“Sem dúvida alguma. Eles são ícones do futebol mundial, que passaram e fizeram história por aqui, o que aumenta ainda mais a nossa responsabilidade. Porém, me deixa extremamente motivado para ser um pouco do que foram esses dois mitos do futebol”, afirmou o garoto.

Mauro ficou no banco de reservas na última terça-feira (6), quando o PSV perdeu de virada para o Tottenham, em Wembley, pela Liga dos Campeões. Na temporada, apesar de ainda flutuar entre a equipe de baixo e a principal, ele acumula dez jogos e dois gols marcados.

NO RADAR DA CBF

Apesar de afastado do público brasileiro, Mauro Júnior continua sendo seguido de perto por olheiros da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que tentam evitar mais casos como os de Deco e Thiago Alcântara, que optaram por atuar por Portugal e Espanha, respectivamente, ao invés do Brasil.

Na semana passada, inclusive, Mauro mais uma vez marcou presença na lista de convocados divulgada pelo técnico Carlos Amadeu para dois amistosos da seleção brasileira sub-20 contra a Colômbia. As partidas fazem parte da preparação para o Sul-Americano a categoria, que acontece no Chile, em janeiro.

“A importância é gigantesca, porque estamos falando de, nada mais, nada menos, que a seleção de nosso país, ou seja, são os melhores que lá estão e eu graças à Deus, e ao bom trabalho que venho realizando, tenho sido lembrado. Eu já tenho um histórico na seleção desde o primeiro ano de sub-15 e a emoção é sempre a mesma. A motivação é sempre das maiores”, disse.

Quando perguntado se já havia sido procurado por outra seleção, Mauro negou e tratou de tranquilizar os torcedores brasileiros. “Isso não aconteceu comigo. Mesmo que talvez fosse sondado, o amor a minha pátria é a vontade de representar o meu país vem sempre à frente. O meu intuito é fazer este ciclo e poder ajudar lá na frente, em uma Olimpíada e uma Copa do Mundo pelo Brasil, sonhos que alimento desde pequeno”, finalizou.

Leia também