Insinuações da oposição em negócio com Paquetá irritam Bandeira

(Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

'Não tira meu sono', afirma Bandeira sobre pedidos de impeachment

(Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)


Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo, deu um pronunciamento na manhã desta sexta-feira, no Ninho do Urubu, em resposta às críticas que a chapa UniFla, encabeçada por Rodolfo Landim, tem feito em relação à negociação envolvendo o meia Lucas Paquetá com o Milan, da Itália.

Na noite da última quinta-feira, a UniFla enviou um comunicado onde questiona o período em que a transação foi realizada, lembra que Ricardo Lomba, atual vice-presidente de futebol, é candidato da situação e afirmando que "na atual administração, o craque feito em casa é vendido de qualquer forma, e o dinheiro é jogado no lixo".

- Passar a minha indignação com relação às declarações que estão sendo veiculadas pelo candidato da principal chapa de oposição, em que se levanta suspeita sobre a minha conduta na transação do Paquetá. Não imaginava, sinceramente. Temos tentado levar o debate para o campo das ideias, mas é difícil ver acusações de que eu teria manipulado a transação do Paquetá para atingir interesses pessoais - disse.

Ele salientou ainda que, durante a gestão, as tratativas sempre foram tratadas da mesma maneira e, na hora certa, vai expor os detalhes sobre o negócio com o clube italiano.

- Foi assim nesses seis anos. Os detalhes da negociação do Paquetá serão expostos como combinado e tudo será esclarecido. Datas, valores e condições - avisou.

Bandeira, que está à frente do clube há seis anos - dois mandatos - recordou que Landim fazia parte da Chapa Azul que venceu a eleição em 2012 e conhece o atual mandatário.

- Acho estranho que isso venha de uma pessoa que me conhece, conhece minha família. Nunca foi do meu feitio manipular algo para ter vantagens pessoais. Vocês têm visto investidas sobre questões pessoais minhas, coisas mal educadas, coisas que deviam ser tratadas com profissionalismo. Inclusive ameaçando me expulsar do clube. Se um dia quiser me expulsar, e for desejo dos sócios, me expulse. Seguirei sendo torcedor - garantiu ele, que completou:

- Não existe nada que justifique acusações do plano pessoal. Temos um acordo com o Milan de só divulgar os detalhes mais tarde. E o Flamengo é extremamente transparente. Vamos colocar tudo à disposição dos sócios. Não tem nada de errado para responder.

O presidente do Rubro-Negro lamentou alguns fatos ocorridos no decorrer da campanha presidencial:

- Esperava que essa campanha tivesse um nível melhor que a anterior, mas está sendo. Tem pessoas que respeito, pessoas que me conhecem, e sabem que eu seria incapaz de fazer algo em benefício próprio. Sei que minha história nunca deu margem para insinuações desse tipo, mas infelizmente, estamos vendo que o interesse de ganhar a eleição leva a esse tipo de coisa descabida, ridícula.



















Leia também