Inocentado de seis acusações de estupro, Mendy voltará a ser julgado em junho

Após cinco meses de julgamento, o jogador francês Benjamin Mendy foi inocentado de seis acusações de estupro e uma agressão sexual nesta sexta-feira (13) pela Justiça britânica, mas enfrentará o júri novamente pelos crimes de estupro e tentativa de estupro, para os quais não houve um veredito final no júri popular.

Ao fim das duas semanas de audiência no tribunal de Chester, no norte da Inglaterra, o júri absolveu o atleta de seis acusações de estupro e uma agressão sexual sobre quatro mulheres, porém, não chegou a uma decisão final sobre a denúncia de um estupro e uma tentativa de estupro.

O juiz Steven Everett anunciou que o jogador do Manchester City será julgado por estes dois crimes durante um período de duas a três semanas a partir de 26 de junho. Também será realizada um audiência preliminar no dia 27 de janeiro.

"Ele quer limpar o seu nome" para "começar a reconstruir sua vida", disse sua advogada, Jenny Wiltshire, acrescentando que o atleta está "feliz" por ter sido absolvido "por unanimidade" da maioria das acusações.

O lateral-esquerdo do clube inglês, que está suspenso há mais de um ano, estava sendo julgado desde o início de agosto e poderia receber uma pena de prisão perpétua.

Louis Saha Matturie, apresentado como cúmplice de Mendy, também foi inocentado de três acusações de estupro, mas o júri não chegou a um veredito para as outras três acusações de estupro e três de agressão sexual.

- Veredito interrompido -

Após quatro meses de audiência, o júri, composto por oito homens e quatro mulheres, se reuniu no dia 5 de dezembro, mas o processo foi interrompido diversas vezes devido a casos de covid-19 e, posteriormente, por uma longa pausa para as festividades de final de ano.

A acusação apresentou Mendy como um "predador" que havia abusado de vítimas "vulneráveis, apavoradas e isoladas".

O jogador, no entanto, negou ter sido "um perigo para as mulheres", garantindo ter tido apenas relações sexuais consensuais.

O Manchester City divulgou uma nota nesta sexta afirmando que tomou conhecimento da decisão, mas que não estava "em condições de comentar" já que o caso segue em aberto.

Campeão mundial com a seleção francesa em 2018, Mendy foi preso no final de agosto de 2021 e passou mais de quatro meses em prisão preventiva. Posteriormente foi liberado no início de janeiro de 2022, quando foi colocado em liberdade condicional para aguardar a decisão de seu julgamento.

O lateral-esquerdo chegou a ser o defensor mais caro da história do futebol em 2017, quando ele se transferiu do Monaco para o Manchester City por US$ 63,2 milhões.

spe/gmo/gk/jvb/pm/yr