Injustiçado? Jorge Jesus se manifesta sobre ausência no The Best e 'crava' favorito

Nathalia Almeida
·2 minuto de leitura

Campeão de quase tudo no período em que esteve no comando do Flamengo - foram cinco taças entre junho de 2019 e julho de 2020, incluindo o Brasileirão e a Libertadores -, Jorge Jesus não foi lembrado pela FIFA para os indicados ao prêmio de melhor treinador da última temporada. A ausência foi bastante criticada por setores da imprensa brasileira e por torcedores do clube carioca, afinal, o comandante quase 'zerou' as competições que poderia ter conquistado em sua breve passagem pela Gávea, mas ainda assim não conseguiu uma vaga entre os candidatos ao The Best.

Como destaca o Globoesporte, o comandante luso só 'rompeu o silêncio' sobre o assunto neste domingo (29), em entrevista coletiva concedida às vésperas da partida entre Benfica e Marítimo pelo Campeonato Português. Aos olhos de Jorge Jesus, se o critério para a escolha de indicados é a conquista de títulos, seu currículo no Flamengo justificaria sua presença na premiação.

FBL-EUR-C3-RANGERS-BENFICA | RUSSELL CHEYNE/Getty Images
FBL-EUR-C3-RANGERS-BENFICA | RUSSELL CHEYNE/Getty Images

"O critério de escolha dos melhores treinadores do mundo penso que seja a conquista de títulos importantes: títulos nacionais, no meu caso estive no Brasil, e internacionais, como foi a Libertadores e a Recopa da América do Sul. E fomos vice-campeões do mundo. Se o Flamengo tivesse sido campeão do mundo, o treinador destacado no mundo teria de ser eu. Penso eu, senão seria o cúmulo", afirmou.

O comandante do Benfica ainda foi além e 'cravou' o favorito à conquista, seguindo o raciocínio lógico envolvendo a disputa do Mundial de Clubes: "Como não fui, só pode ser um: Jürgen Klopp. Mais nenhum", concluiu.

FBL-QAT-FIFA-CLUB-WORLD-CUP-LIVERPOOL-FLAMENGO | GIUSEPPE CACACE/Getty Images
FBL-QAT-FIFA-CLUB-WORLD-CUP-LIVERPOOL-FLAMENGO | GIUSEPPE CACACE/Getty Images

Os cinco treinadores indicados pela FIFA ao prêmio The Best foram: Jürgen Klopp (Liverpool), Hans-Dieter Flick (Bayern de Munique), Zinedine Zidane (Real Madrid), Julen Lopetegui (Sevilla) e Marcelo Bielsa (Leeds United).