Ingrid Oliveira desabafa contra machismo após episódio de sexo na Olimpíada

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Foto: Andre Melo Andrade/Eleven
Foto: Andre Melo Andrade/Eleven

Atleta dos saltos ornamentais, Ingrid Oliveira ganhou fama internacional na Olimpíada de 2016 com um episódio fora das competições. Ela foi criticada por ter feito sexo em seu alojamento com o atleta Pedro Henrique Gonçalves, da canoagem.

Em desabafo publicado pelo UOL Esporte, a saltadora sustenta que não fez nada de errado e diz que foi crucificada apenas pelo fato de ser mulher.

“Colocaram rótulos, espalharam mentiras, escreveram histórias que não vivi. Tudo porque eu sou uma mulher que faz sexo”, escreveu Ingrid.

Para sustentar ter sido vítima de machismo, Ingrid, relatou que o Pedro, com quem ela se relacionou na Olimpíada, não recebeu o mesmo tipo de recriminação.

“Eu entrava no Instagram do Pedro e não tinha xingamento. Era: “parabéns, você é o fodão”. Saiu uma foto no jornal em que está a cara dele com uma medalha de ouro e a minha foto dentro. O pior comentário que eu via era ‘sem foco’. Sem foco!? Nem um “vadio”. Nem um “puto”. Nada. As pessoas que tratam o homem como ‘o garanhão’ são as mesmas que chamam a mulher de vadia, de puta. Era ridículo”, desabafou Ingrid.

Ingrid disse ainda que foi prejudicada pessoal e profissionalmente com o episódio. “Muitas coisas aconteceram depois das Olimpíadas. Eu passei a ser vista como a ‘piriguete’. Marcas não quiseram fechar comigo. As pessoas tinham muito preconceito e me viam como ‘a que faz merda o tempo todo”.

Em outro momento do relato, Ingrid detalha os perrengues pelos quais está passando em decorrência de ter feito sexo com outro atleta durante a Olimpíada.

“A minha vida financeira também ficou difícil. Nos saltos, já não tem uma ostentação de dinheiro. E eu sempre recebi Bolsa Atleta, mas sempre demoram a renovar. Agora, estou há nove meses sem receber. Quando você se dá conta, está devendo a Deus e o mundo. Quando eu morei na casa da Dani, saí devendo R$ 4 mil por quatro meses. Agora, estou sem nenhuma bolsa”, lamentou Ingrid.

A saltadora termina o texto com tom otimista e diz que vai lutar para superar o momento difícil.

“Eu sou feliz. Graças a Deus. Poderia ser mais, se ganhasse na Mega-Sena. Sou feliz pobre, mas sou feliz. Eu sonho com uma medalha olímpica. Eu gostaria do ouro, mas tenho os pés no chão. Nas chinesas tem que jogar urucubaca. Não tem como, gente. Elas não erram. A minha expectativa é de brigar numa final. Eu, com esse salto ajustado, tenho tudo para brigar por uma medalha. E vou levar o salto, aquele da nota zero. Medo eu tenho. Mas sou guerreira”, conclui Ingrid.

Leia mais:

Flamengo fica perto de vender Henrique Dourado para China
Mancini escalou mal, Volpi “estreou” e o SP terá uma reconstrução lenta e gradual
VAR do Paulistão terá ‘Big Brother’ e imagens de até 19 câmeras da Globo

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos