Inglaterra pega Itália em sua primeira final de Euro após vencer a Dinamarca na prorrogação (2-1)

·4 minuto de leitura

A Inglaterra se juntou à Itália na grande final da Eurocopa ao derrotar a revelação Dinamarca (2-1 após a prorrogação) nesta quarta-feira, no estádio de Wembley, em Londres.

Mikkel Damsgaard abriu o placar para os dinamarqueses aos 30 minutos com uma bela cobrança de falta mas os ingleses responderam pouco depois com um gol contra de Simon Kjaer (39).

Depois, na prorrogação, Harry Kane marcou em dois tempos (104) um pênalti duvidoso em que Sterling foi derrubado na área.

"Estou tão orgulhoso dos jogadores. Foi uma noite incrível, os torcedores foram incríveis", comemorou Gareth Southgate no final da partida.

"Nós dissemos aos jogadores que eles deveriam mostrar resiliência e se reerguer após as adversidades, e foi isso que fizemos esta noite", disse ele sobre a vitória de virada.

No lado dinamarquês, o técnico Kasper Hjulmand elogiou sua equipe apesar da eliminação: "Nosso futuro é cheio de esperança. Esses caras são incríveis e todo o país pode se orgulhar deles. Eles conquistaram o respeito de um país inteiro".

"Foi uma aventura fantástica. Lamento que acabou, mas assim são as coisas. Estou orgulhoso, mas também desapontado por não termos chegado à final", disse o zagueiro Simon Kjaer à rede de TV DR1.

Os ingleses disputarão a primeira final de um grande torneio desde a vitória na Copa do Mundo de 1966.

A Inglaterra fará a primeira decisão de Eurocopa no próximo domingo, novamente em seu estádio de Wembley, depois de ficarem às portas da final nas edições de 1968 e 1996, esta última disputada na Inglaterra.

Na final do torneio, a 'seleção dos Três Leões' terão disputado seis das suas sete partidas diante do seu público.

A Itália vai buscar seu segundo título europeia mais de cinquenta anos após a primeira e (1968), enquanto que os anfitriões vão lutar pela primeira taça.

Nesta quarta-feira a Inglaterra esteve em apuros por apenas 20 minutos do primeiro tempo, mas uma vez que veio o empate, foi a seleção que mais mereceu a vitória.

Os anfitriões não demoraram muito para ganhar a posse de bola, mas o time vermelho parecia confortável, alternando a pressão sufocante com linhas mais recuadas.

Os dinamarqueses se acomodaram e chegaram perigosamente perto do gol inglês. Luke Shaw fez falta em Andreas Christensen e no tiro livre, a 25 metros da baliza, veio o gol da Dinamarca, após um fantástico chute de Damsgaard (30).

Foi o único gol que a Inglaterra sofreu no torneio.

- Sterling, capitão sem braçadeira -

A Dinamarca vinha mostrando tanta personalidade que acabou tendo a primeira chance clara da partida, com um chute do atacante da Sampdoria que passou raspando (25).

Os anfitriões acordaram e partiram com tudo atrás do empate, especialmente Raheem Sterling. O ponta do Manchester City não está usando a braçadeira de capitão, mas parece não precisar dela.

Kasper Schmeichel evitou um gol com uma defesa de goleiro de handebol (38). O camisa 10 não desistiu e foi quem acabou provocando o gol contra de Kjaer, que havia se jogado para que os inglês não recebesse completamente sozinho na cara do gol um cruzamento de Bukayo Saka (39).

A intensidade não diminuiu após o intervalo. Os atacantes dinamarqueses levaram nervosismo à torcida inglesa, enquanto Harry Maguire quase marcou o segundo de sua seleção com uma cabeçada defendida de forma magistral por Schmeichel (55).

A Inglaterra foi fechando a Dinamarca, embora sem uma chance clara na direção do gol. Hjulmand quis reagir, fazendo três alterações de uma só vez, mas o time da casa estava muito bem posicionado em campo. Schmeichel voltou a ser o salvador mandando para escanteio um chute de Monte Mason (73).

Os ingleses permitiram que os dinamarqueses passassem novamente por sua área nos dez minutos finais da partida, pouco preocupados graças a sua sólida defesa.

O jogo acabou indo para a prorrogação. E não demorou muito para a Inglaterra quase marcar seu segundo gol com um bom chute de Kane dentro da área, novamente defendido por Schmeichel (94).

- Só faltou uma defesa -

A defesa dinamarquesa não conseguiu controlar as investidas do ataque inglês pelas pontas. A bola rondava a área visitante e incendiava Wembley, deixando a Dinamarca cada vez mais encolhida.

Schmeichel defendeu um disparo de Jack Grealish (98) e no rebote Sterling não encontrou o gol ao chutar da entrada da área.

Foi o atacante do City quem originou o gol da classificação da Inglaterra para a final da Eurocopa. Com uma arrancada espetacular, ele entrou na área dinamarquesa e caiu no chão. O árbitro apitou pênalti ao considerar que Joakim Maehle o havia derrubado.

"Com certeza absoluta foi pênalti. Entrei na área, ele colocou a perna e claramente houve um pênalti", disse Sterling à ITV no final da partida.

Kane cobrou, mas o goleiro dinamarquês defendeu. Para a sorte do artilheiro a bola foi rebatida e veio centralizada e o atacante do Tottenham foi rápido para mandar para as redes (104).

"Devo dizer que não chutei tão bem como de costume. Tive sorte da bola ter chegado até mim", comentou o atacante em entrevista coletiva sobre sua cobrança.

A Dinamarca, exausta, gerou pouco perigo no segundo tempo da prorrogação e assim encerrou sua participação no torneio em que foi a revelação, no qual superou o enorme susto dado por seu craque Christian Eriksen na estreia e no qual perdeu seus dois primeiros jogos.

bds-gh/dr/hap-av/bpa/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos