Inglaterra atropela Irã (6-2) em sua estreia na Copa, marcada por mensagens políticas

A Inglaterra estreou com autoridade na Copa do Mundo do Catar, goleando o Irã nesta segunda-feira por 6 a 2 em jogo do Grupo B no estádio Al Khalifa, na capital Doha, em que foram enviadas mensagens políticas por parte das duas equipes.

Os gols ingleses foram marcados por Bellingham (35), Saka (43 e 62), Raheem Sterling (45+1), Marcus Rashford (71) e Jack Grealish (90), enquanto Mehdi Taremi descontou para os iranianos (65 e 90+13, de pênalti).

A partida, que contou com um trio de arbitragem 100% brasileiro, teve um início mais truncado, com a tensão natural da estreia e um choque que forçou uma longa paralisação para que o goleiro iraniano Beiranvand fosse atendido e retirado de campo.

O astro inglês Harry Kane ia ser o primeiro capitão a usar a braçadeira com as cores do arco-íris, símbolo contra a discriminação, mas acabou entrando com uma braçadeira escura com a mensagem: "No Discrimination" ("Não à discriminação"), autorizada pela Fifa.

A hora da execução dos hinos nacionais já pode ser considerada um momento marcante deste Mundial. Os 11 jogadores do time titular do Irã se recusaram a cantar. O país vive há dois meses uma onda de protestos contra o regime rígido iraniano.

No início da semana, o capitão da equipe, Alireza Jahanbakhsh, havia afirmado que o vestiário decidiria "coletivamente" se cantaria ou não o hino em sinal de apoio às vítimas dos protestos pela morte em 16 de setembro de Mahsa Amini, uma curdo-iraniana de 22 anos detida por violar o estrito código de vestimenta que obriga as mulheres a usar o véu em público.

- Festa entre as torcidas -

Do lado de fora do estádio, o clima era de paz, festa e expectativa, com um bom comparecimento das duas torcidas. Iranianas marcaram presença, usando roupas que variavam do estilo mais ocidental ao mais tradicional. Já na saída do metrô, ingleses, iranianos e fãs de outras nacionalidades, com camisas e bandeiras, aceleravam o passo em direção ao Al Khalifa, sem tumultos.

Em campo, o Irã do técnico português Carlos Queiroz entrou fechado, num esquema 5-3-2, com três zagueiros e dois laterais, o que dificultou a penetração da seleção dos Três Leões, comandada por Gareth Southgate.

Logo aos 8 minutos, foi cobrada uma falta na linha lateral da área buscando o artilheiro Harry Kane na segunda trave. O goleiro Beiranvand tentou afastar de soco e se chocou com Majid Hosseini, ficando caído em seguida. Depois de 10 minutos de atendimento em campo, Beiranvand saiu de maca com suspeita de concussão e Hossein Hosseini entrou em seu lugar.

Aos 22 minutos, o habilidoso Saka avançou pela direita, fez o corte e tentou de pé esquerdo, mas o chute saiu fraco e o goleiro Hosseini defendeu com certa tranquilidade. Aos 31 minutos, Trippier cobrou escanteio da direita pelo alto, Maguire subiu e cabeceou no travessão de Hosseini. O gol estava mais perto. E ele veio pouco depois.

Shaw recebeu um passe de Sterling na ponta esquerda e cruzou de pé esquerdo. Jude Bellingham subiu mais do que os defensores iranianos e mandou para o fundo da rede. A torcida inglesa vibrou e cantou "Hey Jude" dos Beatles para saudar o autor do primeiro gol da Inglaterra na Copa.

Aos 43 minutos, Shaw cobrou um escanteio aberto da esquerda, Maguire subiu e deixou de cabeça para Saka, que dessa vez mandou uma bomba no ângulo esquerdo do goleiro Hosseini.

A defesa do Irã se abriu e deixou espaços, facilitado a tarefa dos ingleses. Nos acréscimos, Kane recebeu na linha lateral da área pela direita e cruzou rasteiro. Sterling se antecipou à marcação e disparou de pé direito para o fundo da rede.

O primeiro tempo terminou aos 59 minutos, com a Inglaterra vencendo com tranquilidade de sobra.

- Mais gols no segundo tempo -

O panorama quase não mudou no segundo tempo, com a Inglaterra administrando, mas sem se recusar a buscar mais gols.

Aos 16 minutos, Sterling driblou Kanani no ataque e tocou para Saka dentro da área, que entrou gingando. Diante de três zagueiros, o camisa 17 ajeitou com o pé esquerdo e tocou no canto fazendo 4 a 0.

Mas o Irã não desanimou e nem sua torcida, que em nenhum momento parou de cantar. Três minutos depois, Ali Gholizadeh recebeu um passe pela direita e deu uma boa assistência para Taremi que disparou de pé direito. A bola ainda desviou no travessão antes de entrar, para a festa de seus torcedores.

Mas a Inglaterra queria mais, Rashford, que havia entrado em campo pouco antes no lugar de Sterling, recebeu um passe dentro da área pela direita, cortou para o pé esquerdo e mandou na saída do goleiro para ampliar o placar.

E a Inglaterra ainda marcou o sexto. Callum Wilson penetrou sozinho na área, e achou Grealish que havia entrado no lugar de Mount, para ampliar a goleada.

Já nos acréscimos, o Irã chegou ao segundo gol com Taremi em cobrança de pênalti, marcado com o auxílio do VAR, que flagrou um puxão de camisa dentro da área em bola levantada pelo ataque iraniano

A arbitragem do jogo foi 100% brasileira, com Raphael Claus acompanhado pelos auxiliares Rodrigo Figueiredo e Danilo Manis.

O próximo compromisso da Inglaterra no Mundial será contra os Estados Unidos na sexta-feira, enquanto o Irã enfrenta a seleção do País de Gales no mesmo dia.

aam/cb