Por influência irregular, Infantino será investigado pela Fifa, diz jornal

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, pode ser investigado pelo Comitê de Ética da entidade, por suposta influência irregular na última eleição da Confederação Africana de Futebol. É proibida a intervenção do mandatário em votações regionais.

De acordo com reportagem do Der Spiegel, o suíço apoiou o candidato Ahmad Ahmad, que acabou se elegendo presidente da CAF, entidade que comanda o futebol da África. O adversário era Issa Hayatou, que chegou a ocupar a presidência interina da Fifa, entre a saída de Joseph Blatter e a entrada de Infantino.

Gianni participou de uma festa, realizada em Harare, capital do Zimbábue, organizada por um gerente da campanha de Ahmad. Pelo regimento do Comitê de Ética, isso fere a característica de “política neutra” da Fifa.

A investigação contra o presidente não é confirmada oficialmente. De qualquer forma, esta seria a segunda vez que o mandatário fica na mira do Comitê, em um mandato que tem 14 meses. Na última vez, as investigações foram encerradas sem punição.

Infantino tem a missão de reestruturar a credibilidade da entidade. O mandato de Joseph Blatter terminou com ele sendo suspenso por conta de escândalos recorrentes de corrupção na Fifa e nas principais confederações de futebol do mundo.