Infectologista critica retorno aos treinos: 'O que melhorou em relação ao cenário que tínhamos há um mês?'

Matheus Dantas
LANCE!


A decisão de retornar aos treinos no Ninho do Urubu, com o elenco profissional trabalhando com bola em dois campos do CT, foi criticada pelo Doutor Celso Ferreira Ramos Filho. Em entrevista ao LANCE!, o infectologista, e professor titular de Doenças Infecciosas da Faculdade de Medicina da UFRJ, reforçou que este não é o momento para se pensar em retomar as atividades de futebol.

- Estão brincando. Mais de mil mortes por dia neste começo de semana. São quase 300 mil casos e nenhuma perspectiva de melhora substancial nos próximos 30 dias. Estão brincando. Um time como o Flamengo vai treinar, vai ter foto, vai ter imprensa... Como vamos impedir os garotos que querem jogar bola, participar de uma pelada? Vamos voltar aos treinos por quê? O que melhorou em relação ao cenário que tínhamos há um mês? - questionou.

Na quarta-feira, representantes do CREMERJ (Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro) e da Câmara Técnica de Medicina Desportiva se posicionaram contra o retorno dos treinos no Rio de Janeiro neste momento devido aos números crescente de casos de coronavírus.

O prefeito Marcelo Crivella e Beatriz Busch, secretária municipal de Saúde, também participaram da video-conferência, assim como o Dr. Celso Ferreira Ramos Filho e o Dr. Márcio Tannure, chefe do departamento médico do Fla - que apresentou seu argumentos a favor da retomada das atividades no Centro de Treinamento.

A Prefeitura e a Secretária Municipal de Saúde não autorizaram as atividades. Portanto, o Flamengo, caso o elenco profissional volte a treinar no CT, seguirá descumprindo o protocolo "Jogo Seguro", elaborado pelo DM do próprio clube.

O "Jogo Seguro", criado por uma comissão médica com a participação de clubes do Rio e da Ferj, foi enviado às autoridades. Flamengo e Vasco assinaram o documento que pleitea a volta das atividades relacionadas futebol ao Governo.

No "Jogo Seguro", o nome do Dr. Celso Ferreira Ramos Filho aparece como consultor, mas, ao LANCE!, o médico mostrou-se desconfortável com a situação. Segundo Dr. Celso, ele só participou de "uma ou duas reuniões".

- Efetivamente, fui convidado a participar do grupo que produziu o protocolo por meu amigo, Dr. Rubens Lopes, presidente da FERJ. Participei de uma ou duas reuniões, embora tenha sido convidado para outras. Entretanto, não vejo quaisquer condições para retomada de atividades, no momento. Não faço avaliações do conteúdo, em si; mas não me sinto à vontade, ao ver meu nome como assessor técnico do grupo - afirmou o infectologista e professor da UFRJ.

De acordo com os números da Secretaria de Estado de Saúde, atualizados na noite de quarta-feira, 20 de maio, o Rio de Janeiro alcançou 3.237 mortes e ultrapassou os 30 mil casos por Covid-19. Ainda são 1.045 óbitos em investigação, com 225 casos descartados e 25.397 pacientes recuperados.













Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também