Infalível na Colômbia, Borja faz primeiro mata-mata pelo Palmeiras

Fellipe Lucena

Miguel Ángel Borja encantou o continente ao marcar 17 gols em 27 partidas durante sua curta passagem pelo Atlético Nacional (COL), no ano passado. Um dado que comprova o poder de decisão do centroavante é que 16 desses gols saíram em jogos eliminatórios. Motivos não faltam para o torcedor do Palmeiras depositar nele as maiores expectativas para o jogo deste domingo, às 19h, contra o Novorizontino, em Novo Horizonte, o primeiro mata-mata do colombiano pelo clube.

​Borja disputou 20 jogos eliminatórios pelo Atlético Nacional (COL). Além de ter feito 16 gols, conquistou dois títulos (Libertadores e Copa da Colômbia) e chegou à final da Sul-Americana, que acabou não acontecendo por causa da tragédia com a Chapecoense. O desempenho nesse tipo de disputa só não é perfeito porque o clube foi derrotado pelo Kashima Antlers (JAP) na semifinal do Mundial de Clubes - na decisão do terceiro lugar, venceu o América do México.

Ou seja, Borja disputou 13 mata-matas pelo seu antigo clube e saiu vitorioso em 12 deles. Os eliminados foram São Paulo e Independiente Del Valle (ECU), pela Libertadores, Deportivo Municipal (PER), Bolívar (BOL), Sol de América (PAR), Coritiba e Cerro Porteño (PAR), pela Sul-Americana, Real Cartagena, Patriotas, Santa Fe e Junior Barranquilla, pela Copa da Colômbia, e América (MÉX), pelo Mundial.

Depois de um início arrasador pelo Palmeiras, com dois gols em seus primeiros dois jogos, Borja já vive um pequeno jejum de quatro partidas pelo clube. Não marcou contra Atlético Tucumán (ARG), São Paulo, Jorge Wilstermann (BOL) e Santos. Não é algo comum para ele: no ano passado, o maior jejum que o goleador viveu durou cinco jogos, justamente os últimos cinco da temporada.

O camisa 12 desfalcou o Palmeiras nos jogos contra Mirassol, Osasco Audax e Ponte Preta. Ele estava a serviço da seleção colombiana nas Eliminatórias. Por desgaste muscular, foi poupado do jogo contra a Bolívia, em Barranquilla. No entanto, recuperou-se a tempo de ser titular contra o Equador e dar uma assistência para James Rodríguez marcar um dos gols da vitória por 2 a 0, fora de casa.

Eduardo Baptista não deu pistas sobre o time que pretende mandar a campo em Novo Horizonte, mas a tendência é que Borja volte ao comando do ataque, função que vinha sendo de Willian nos jogos em que ele esteve ausente.

Veja todos os mata-matas que Borja disputou pelo Nacional:

COPA LIBERTADORES:

Semifinal
São Paulo 0 x 2 Atlético Nacional - 2 gols
Atlético Nacional 2 x 1 São Paulo - 2 gols

Final
Independiente Del Valle 1 x 1 Atlético Nacional
Atlético Nacional 1 x 0 Independiente Del Valle - 1 gol

COPA DA COLÔMBIA


Oitavas de final
Atlético Nacional 1 x 2 Real Cartagena - NÃO JOGOU
Real Cartagena 0 x 2 Atlético Nacional - 1 gol

Quartas de final
Atlético Nacional 3 x 0 Patriotas - 2 gols
Patriotas 2 x 1 Atlético Nacional

Semifinal
Atlético Nacional 1 x 1 Santa Fe
Santa Fe 1 x 4 Atlético Nacional - 2 gols

Final
Atlético Nacional 2 x 1 Junior Barranquilla - NÃO JOGOU
Junior Barranquilla 0 x 1 Atlético Nacional

COPA SUL-AMERICANA

Primeira fase
Deportivo Municipal (PER) 0 x 5 Atlético Nacional - NÃO JOGOU
Atlético Nacional 1 x 0 Deportivo Municipal (PER)

Segunda fase

Bolívar (BOL) 1 x 1 Atlético Nacional - 1 gol
Atlético Nacional 1 x 0 Bolívar - 1 gol

Oitavas de final
Sol de América (PAR) 1 X 1 Atlético Nacional
Atlético Nacional 2 x 0 Sol de América (PAR)

Quartas de final

Coritiba 1 x 1 Atlético Nacional - 1 gol
Atlético Nacional 3 x 1 Coritiba - 3 gols

Semifinal

Cerro Porteño (PAR) 1 x 1 Atlético Nacional
Atlético Nacional 0 x 0 Cerro Porteño (PAR) - NÃO JOGOU

MUNDIAL DE CLUBES


Semifinal
Kashima Antlers (JAP 3 x 0 Atlético Nacional

Decisão do terceiro lugar

Atlético Nacional 2 (4) x (3) 2 América (MÉX)






























































E MAIS: