Índios de tribo isolada da Amazônia são assassinados por garimpeiros

Imagens aéreas de membros de uma tribo isolada da Amazônia foram feitas em 2008. Acredita-se que pelo menos 10 membros de uma tribo nesta região tenham sido assassinados por garimpeiros no mês passado. (Ho New / Reuters)

Pelo menos 10 membros de uma tribo isolada da região da Amazônia foram supostamente assassinados no mês passado por garimpeiros ilegais que atuam na região, de acordo com a ONG Survival International.

A organização, que defende os direitos dos povos indígenas, disse que o massacre incluiu mulheres e crianças, e pode ter acabado com um quinto da tribo.

Membros da tribo estavam recolhendo ovos nas margens de um rio no Vale do Javari, quando os garimpeiros chegaram, de acordo com o The New York Times. Mais tarde, eles se gabaram do massacre num bar na cidade mais próxima, e inclusive mostraram um remo com detalhes feitos à mão que alegaram ter roubado como um troféu.

“Foi uma conversa de bar muito cruel,” disse Leila Silvia Burger Sotto-Maior, coordenadora da Funai para tribos não contatadas ou recentemente contatadas, ao Times. “Eles também se vangloriaram por terem cortado os corpos e jogado os pedaços no rio”.

A Funai, órgão indigenista oficial do Estado brasileiro, teve parte de seu orçamento cortado recentemente, sob o governo do presidente Michel Temer. A ONG Survival International descreveu o governo de Temer como “ferozmente anti-indígena, com fortes laços com o poderoso lobby agrícola e anti-indígena, do país”.

A Survival International classificou o ataque como um “genocídio” e disse que Temer e seu governo têm uma “grande responsabilidade” pelo ocorrido. De acordo com Stephen Corry, diretor da organização:

“O corte na verba da Funai deixou dezenas de tribos isoladas sem defesa contra milhares de invasores – garimpeiros, fazendeiros e madeireiros – que estão desesperados para roubar e saquear suas terras. Todas estas tribos deveriam ter tido suas terras devidamente reconhecidas e protegidas, há anos. O apoio do governo a aqueles que querem violar territórios indígenas é absolutamente vergonhoso, e está provocando um retrocesso de décadas no campo dos direitos indígenas”.

Pelo menos duas outras tribos da região já tiveram suas terras invadidas e agora estão cercados por fazendeiros e outros tipos de invasores, segundo a Survival International.

Adelson Kora Kanamari, líder da tribo Warikama Djapar, disse ao portal Amazônia Real que a situação para os povos indígenas da região é “muito crítica”, e que entre 18 e 21 pessoas foram mortas no massacre, de acordo com a AFP.

Os invasores são proprietários de terras, caçadores, garimpeiros,” disse Kanamari. “Muitos destes índios estão sendo assassinados no isolamento, mas não sabemos as datas ou o número exato de mortes”.

Ed Mazza