Independiente del Valle e Grêmio vão jogar no Paraguai após casos de covid-19

·3 minuto de leitura
Lorenzo Faravelli, do Independiente del Valle, comemora com seus companheiros depois de marcar contra a Unión Española do Chile no jogo da segunda fase da Libertadores no Estádio Rodrigo Paz Delgado, em Quito, em 16 de março de 2021

O duelo pela terceira fase da Copa Libertadores-2021 entre Independiente del Valle e Grêmio, suspenso nesta terça-feira no Equador após casos de covid-19 terem sido detectados no clube brasileiro, será disputado nesta sexta-feira no Paraguai, anunciou a Conmebol.

O Equador decidiu suspender a partida desta quarta-feira entre o Independiente del Valle e o Grêmio pelo torneio continental depois que três casos de covid-19 foram detectados na equipe gaúcha.

"Decidimos suspender a partida #CopaLibertadores entre @IDV_EC (Independiente del Valle) e @Gremio (Grêmio) que aconteceria amanhã, em Quito, já que três jogadores do time brasileiro testaram positivo" para covid-19, escreveu o ministro do Interior equatoriano, Gabriel Martínez em sua conta no Twitter.

O elenco do Grêmio, que ia disputar o jogo de ida da terceira fase da Libertadores, segue isolado em um hotel da capital equatoriana.

Martínez explicou que, pelo fato de "a variante brasileira ainda não estar no país", o governo decidiu cancelar o jogo e assim "evitar colocar em risco a saúde dos jogadores" que iam participar do duelo.

A Conmebol, por sua vez, anunciou que a partida será disputada nesta sexta-feira, no estádio Defensores del Chaco, em Assunção.

Martínez, em uma coletiva de imprensa, alertou que caso os jogadores do Independiente del Valle disputem o duelo contra o Grêmio em outro país "deverão manter um isolamento" de ao menos dez dias após seu retorno e passar por exames para descartar a doença.

- Uma situação difícil -

Maribel Cruz, vice-ministra da Saúde, destacou que após o desembarque da equipe "por regulamentação epidemiológica", "foram realizados exames de antígeno que registraram dois atletas positivos" e posteriormente um terceiro foi confirmado.

Diante dos resultados e da "difícil situação epidemiológica" que atravessa o Equador, o Ministério da Saúde recomendou a suspensão do jogo, que seria realizado no estádio da LDU, disse Cruz em entrevista coletiva.

O técnico do Grêmio, Renato Gaúcho, recebeu o diagnóstico positivo para covid-19 na segunda-feira, o que o impediu de viajar para o Equador com o restante do elenco.

O Equador, com 17,4 milhões de habitantes, registra 337.703 casos de covid-19 e 17.004 óbitos, entre confirmados e prováveis.

O aumento dos casos obrigou o governo equatoriano a declarar estado de exceção por 30 dias e um toque de recolher de nove horas em oito das 24 províncias do país, que representam 70% da população.

Após a suspensão da partida, o Comitê Nacional de Operações de Emergência (COE) pediu a modificação, a partir desta quinta-feira, das normas sobre a entrada de pessoas que viajam ao Equador vindas do Brasil.

"Todos os passageiros cuja origem ou escala seja o Brasil devem passar por quarentena obrigatória de 10 dias" em hotéis designados pelo governo e independentemente de apresentarem teste covid-19 com resultado negativo, disse Juan Zapata, diretor do COE.

O Brasil, com 212 milhões de habitantes, atingiu um novo recorde diário de óbitos desde covid-19 na quinta-feira, com mais de 4.000 mortes registradas em 24 horas. O país também somou 86.979 novas infecções, elevando o total para 13,1 milhões de infectados.

Nos duelos eliminatórios para a terceira fase da Libertadores, times como Universidad de Chile e Caracas FC tiveram que enfrentar seus rivais com seus elencos desfigurados devido a casos de covid-19.

pld/cl/ma/aam