Incêndio no Ninho: Flamengo chega a acordo com família de Jorge Eduardo


O Flamengo entrou em acordo com a família de Jorge Eduardo, um dos dez atletas das divisões de base do clube que morreram no incêndio no Ninho do Urubu, em fevereiro de 2019. O anúncio foi feito por Rodrigo Dunshee, vice-presidente geral e jurídico, nesta segunda-feira, por meio de uma rede social.

- Fechamos mais um acordo. Dessa vez com a família do Jorge Eduardo. É uma satisfação enorme poder anunciar. Que Deus abençoe esse família e cuide muito do Jorge Eduardo - publicou o dirigente do Flamengo (confira abaixo).

Agora, a direção rubro-negra acertou a indenização com as famílias de Gedson Santos, Áthila Paixão, Vitor Isaías, além do ter fechado acordo com o pai de Rykelmo de Souza. A mãe de Rykelmo, por sua vez, é a única que acionou o clube na Justiça até esta data.

Jorge Eduardo, de 15 anos, era meio-campo natural de Além Paraíba, em Minas Gerais. As demais vítimas fatais do incêndio no CT foram Athila Paixão, de 14 anos, Arthur Vinícius, 14 anos, Christian Esmério, 15 anos, Gedson Santos, 14 anos, Bernardo Pisetta, de 14 anos, Pablo Henrique, 14 anos, Rykelmo de Souza Vianna, 16 anos, Samuel Thomas Rosa, 15 anos, e Vitor Isaías, 15 anos.

O Ministério Público do Rio de Janeiro já tem a denúncia montada e os denunciados identificados pelo incêndio no Centro de Treinamento do Flamengo, em 8 de fevereiro de 2019. O MPRJ aguarda o retorno dos prazos processuais - suspenso por conta da pandemia do novo coronavírus - para apresentá-la, o que pode já acontecer na próxima segunda, dia 15 de junho.

Com a normalização da Justiça no Rio de Janeiro, uma audiência de conciliação entre as partes também será realizada. A decisão foi da juíza Bianca Ferreira do Amaral Machado Nigri, do Tribunal de Justiça, do Fórum Regional da Barra da Tijuca. O presidente Rodolfo Landim foi convocado, assim como a Defensoria Pública e o MP, mas o departamento jurídico do clube questiona a legitimidade das instituições representarem as famílias no processo que discute o caso.










Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também