Imprensa internacional destaca polêmica sobre decisão da Austrália de barrar Djokovic

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A imprensa internacional repercute nesta quinta-feira (6) a decisão da Austrália de barrar a entrada do tenista Novak Djokovic.

O tenista número 1 do mundo está no centro de uma polêmica por não revelar se foi imunizado contra a Covid-19. Além disso, buscou uma autorização especial para disputar o torneio, no qual tentaria o 21º título de Grand Slam.

Ele entrou com um pedido de liminar para impedir a deportação.

O New York Times afirma que, ao ter negada a entrada na Austrália, o tenista Novak Djokovic encerra a chance de defender seu título de campeão no Australian Open.

A manchete da luta judicial contra a deportação divide espaço no australiano The Age com uma foto do tenista com a boca aberta e expressão de espanto.

O Sydney Morning Herald, da Austrália, destaca a opinião de Abul Rizvi, ex-secretário adjunto de Imigração, que chama a situação de ridícula. Ele escreve sobre a diferença entre a autorização especial para o torneio e a liberação para entrar no país e afirma que é surpreendente o fato de os órgãos governamentais não terem agido para evitar o problema.

Para o sérvio Telegraf o melhor tenista do mundo recebeu um tratamento vergonhoso em Melbourne ao ser proibido de entrar na Austrália.

A fúria em Belgrado, capital da Sérvia, é o destaque no The Times. O Daily Beast aborda a tentativa de Djokovic de continuar na Austrália para disputar o torneio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos