Imprensa europeia reverencia atuação de Neymar em classificação do PSG: 'Recital'

Nathalia Almeida
·2 minuto de leitura

A bola não entrou, mas isso foi mero detalhe: na tarde desta terça-feira (13), Neymar teve atuação 'de gente grande' contra o Bayern de Munique, especialmente nos primeiros 45 minutos de jogo, quando acertou a trave de Manuel Neuer em três oportunidades. O PSG saiu de campo derrotado por 1 a 0, mas classificado às semifinais da Champions League, mantendo aceso o sonho da inédita conquista europeia no Parque dos Príncipes.

Se para muitos o camisa 10 estava devendo uma grande performance, os dois jogos das quartas contra o rival alemão mudaram essa concepção. Foram duas assistências na ida e o troféu de melhor jogador da partida na volta em Paris, atuação que rendeu grandes elogios ao brasileiro junto à imprensa europeia: "Neymar não fez gol hoje por puro azar. O PSG passou à semifinal em outra grande partida, carregada de alternativas. O time perdeu, mas Neymar ganhou", pontuou o 'Marca'.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O catalão 'Mundo Deportivo' também reverenciou o atacante brasileiro: "Neymar sobrou, e o PSG expulsou o Bayern da Liga dos Campeões. O ex-barcelonista deu um recital, com várias bolas na trave, apesar de não ter conseguido deixar seu gol pelo time francês. Ainda assim, os parisienses selaram sua vingança depois de perderem a final de 2020 contra os alemães", escreveu.

O 'Le Figaro' também elogiou Neymar, mas exaltou a entrega coletiva do PSG no duelo: "Mesmo sem sucesso frente aos postes, Neymar foi brilhante (...) Toda a equipe parisiense se mostrou digna de seu status nesta terça-feira, no Parc des Princes. Todos em sintonia. Quase podíamos esquecer que os indispensáveis ​​Marquinhos e Verratti não jogaram", publicou.

Por fim, o 'Le Parisien' cravou que o torcedor do Paris teria pago caro, e com prazer, para ver a atuação do brasileiro nesta noite: "O público pagaria caro pelo assento para ver o brasileiro. Inspirado desde a primeira estocada, ele multiplicou os dribles para abrir caminho para o gol. Infelizmente para ele e para Paris, as traves e Neuer o impediram", vibrou.

Com informações da ESPN.