Campeã olímpica da maratona no Rio, Jemima Sumgong testa positiva para EPO

Madri, 7 abr (EFE).- Jemima Sumgong, a primeira atleta queniana campeã olímpica de maratona (nos Jogos do Rio 2016), testou positivo para EPO (eritropoietina) em um controle de doping fora de competição, informou nesta sexta-feira a Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF).

"A IAAF pode confirmar que foi aberto um caso de infração do regulamento antidoping relativo à queniana Jemima Sumgong. A atleta testou positivo para EPO em um controle fora de competição praticado pela IAAF no Quênia", indica a organização em comunicado .

Dito controle faz parte do programa de controles fora de competição que a IAAF realiza com os maratonistas.

O teste positivo de Sumgong, de 32 anos, está pendente de confirmação mediante a análise de amostra B.

A eventual desqualificação de Sumngong nos Jogos do Rio suporia um duro golpe para o atletismo queniano, que antes dos últimos Jogos havia conquistado três medalhas de prata olímpicas consecutivas na maratona feminina, que entrou no programa olímpico em Los Angeles'84.

Sumgong também foi campeã da passada maratona de Londres, na melhor temporada de sua vida. No Rio 2016, presenteou o Quênia, com um ataque a dois quilômetros da linha de chegada, a primeira medalha de ouro em um maratona olímpica feminina, após passar a bareinita Eunice Kirwa -também nascida no Quênia. Sumsong venceu com um tempo de 2h24m04.

Antes da revelação hoje o doping da queniana, Sumgong tinha previsto participar da próxima maratona de Londres, que acontecerá em 23 de abril.

Sumgong progrediu desde seu quarto posto no Mundial de Pequim 2015. Vencedora em Londres, ganhou também a meia maratona de Ras Al Khaimah com recorde pessoal (1h06m58).

A principal beneficiada pela sua desqualificação seria outra atleta nascida no Quênia, mas que concorreu no Rio com a equipe de Barein, Eunice Kirwa Jepkirui, que adquiriu a nova nacionalidade em 2013.

Na maratona olímpica masculina também a medalha de ouro foi ao Quênia graças a Eliud Kipchoge, que venceu com uma grande exibição de superioridade nos últimos quilômetros. EFE