Igor Gomes projeta próximo passo do São Paulo: 'Em busca do que é nosso'


Jovem estreante na Copa Libertadores, Igor Gomes teve sua primeira experiência na competição atuando na altitude de quase 4 mil metros de Juliaca. Com personalidade ele foi um dos jogadores que falaram com a imprensa após a derrota do São Paulo por 2 a 1 para o Binacional-PER, na última quinta-feira. Para ele, o momento já é de pensar no próximo passo.

- Lógico que ninguém gostou, sensação é a pior possível, porque a gente sabia que tínhamos condições de sair daqui com a vitória. Infelizmente, por descuidos nossos, não saímos. Cabeça erguida, temos ainda 15 pontos para disputar, vamos com força total em busca do que é nosso - declarou.

Igor foi mais um a engrossar o coro de evitar colocar a altitude como desculpa para a derrota. Apesar de confessar ter sentido os efeitos do ar rarefeito, o meia disse ter se adaptado à sensação diferente ao longo do duelo e pediu para que o grupo procure acertar o que errou para o próximo compromisso.

- Influencia (a altitude), mas sabíamos do problema. Não podemos usar isso como desculpa. No início do jogo influenciou, posso falar da minha parte, mas aos poucos vamos nos acostumando. Vamos procurar acertar o que erramos para no próximo jogo sair de campo com os três pontos.





Para Igor, havia o conhecimento do grupo de que era preciso dosar o ritmo para evitar que o cansaço pegasse o time na segunda etapa, no entanto, para o meia, um recuo demasiado acabou beneficiando os mandantes, que viraram o placar com dois gols na metade final da partida.

- Libertadores pede esse jogo mais intenso, mas sabíamos que não poderíamos agredir a todo momento por causa da altitude. Tivemos nossos melhores momentos no primeiro tempo. No segundo tempo recuamos um pouco mais e acabamos sofrendo os gols. Vamos esfriar a cabeça e procurar o que fizemos de errado para nos próximos jogos acertar.

O jovem são-paulino formado na base de Cotia também falou dos erros cometidos pelo time, que perdeu muitos gols, principalmente na primeira etapa. No entanto, ele preferiu não apontar culpados, já que todos estavam de cabeça quente e priorizou pensar no trabalho de ajustes nos próximos dias, que pode provocar o crescimento da equipe ao longo da Libertadores.

- Uma série de erros, fica difícil de apontar assim, a gente está no calor do jogo. Houve erros. Se não tivesse tido erros, teríamos saído daqui com a vitória. Vamos esfriar nossa cabeça, todos estão tensos, chateados pelo que aconteceu. Colocar os pingos nos is, ver o que a gente errou e durante a semana ir acertando até o próximo jogo, acho que o importante é isso, ir crescendo ao longo da competição.

O São Paulo volta a campo neste domingo, diante do Botafogo-SP, às 16h, fora de casa, pela nona rodada do Campeonato Paulista. Já na próxima quarta-feira, o Tricolor recebe a LDU-EQU, no Morumbi, às 21h30, pela segunda rodada da fase de grupos da Copa Libertadores. Os equatorianos lideram o Grupo D após vencerem o River Plate-ARG, por 3 a 0, em Quito.








Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também