Ídolo argentino recusa Sampaoli na seleção: “Não vale nada"

Carlos Bilardo em 2010. Foto: AP

Jorge Sampaoli, atual técnico do Sevilla, é cotado como futuro técnico da Argentina no meio deste ano. Edgardo Bauza, que está no comando da seleção, perdeu prestígio com a derrota para a Bolívia, em La Paz, pelas Eliminatórias, e pode ser demitido em breve. Os próximo jogos só acontecem em agosto.

Entretanto, o técnico do Sevilla, que fez história na seleção chilena, não é unanimidade para assumir o time argentino. Um de seus maiores críticos é Carlos Bilardo, 78 anos, técnico campeão do mundo em 1986: “Sampaoli não serve para nada e só é amigo de dois ou três jornalistas chilenos que lhe deram corda”, opinou ele ao Clarín.

Jorge Sampaoli faz um bom trabalho no Sevilla. Foto: AP

Bilardo disse que Sampaoli “não vale nada como treinador nem como pessoa” e que ascendeu na carreira apenas pela sua relação com alguns jogadores. Bilardo revelou que sua raiva vem de quando Sampaoli era técnico do Chile e o defendeu dos críticos chilenos. No entanto, tempos depois Sampaoli ignorou isso e teria chamado o estilo de Bilardo de ‘antifutebol’.

A escola “bilardista”, como ficou conhecida na Argentina, tinha como princípio um futebol mais defensivo e objetivo no contra-ataque, em contraposição à escola “menottista”, que tinha um futebol mais romântico e ofensivo, campeão do mundo em 1978.