Identificado com o Fluminense e o Internacional, Abel Braga revisita a própria história no jogo do Brasileiro

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Abel Braga conquistou títulos pelo Fluminense e Internacional (Foto: Mailson Santana/Fluminense FC)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


Neste sábado, o Fluminense recebe o Internacional no Maracanã, às 19h, pela terceira rodada do Brasileiro. Além da disputa pelos três pontos, a partida será marcada pelo reencontro de Abel Braga com o Colorado. Ídolo do clube, ele foi o técnico que mais comandou a equipe gaúcha na história e, com a camisa alvirrubra, conquistou uma Libertadores e um Mundial. No Rio de Janeiro, o treinador terá a missão de vencer pelo Flu, seu time do coração e no qual também levantou taças e tem ligação especial.

No Internacional, Abel Braga completou sete passagens. Em 340 jogos no total, o técnico obteve 189 vitórias, 82 empates e 69 derrotas, com um aproveitamento de 63,63%. Os dados são do "Portal do Colorado". Na sua primeira experiência, em 1988, o comandante levou a melhor no Gre-Nal do Século, pela semifinal do Brasileiro de 1988/89. Contudo, a eliminação na Libertadores para o Olimpia, que também eliminou o Flu na edição deste ano, encerrou o vínculo entre o clube e Abel.

Nas duas passagens posteriores, em 1991 e 1995, Abel não conseguiu bons números e foi demitido após derrotas contra o Grêmio. O técnico só retornou ao Beira-Rio depois de 11 anos e, neste hiato, comandou o Fluminense pela primeira vez em 2005, mesmo ano em que conquistou o Campeonato Carioca. Após deixar Laranjeiras, o treinador voltou para o Colorado em 2006, mas desta vez para entrar na história.

A temporada de 2006 é reconhecida pelo Inter como a mais importante do clube até hoje. Neste ano, 'Abelão' ganhou a Libertadores e, meses depois, bateu o Barcelona de Ronaldinho Gaúcho, levando o Mundial de Clubes. Os títulos eram inéditos para o Inter. Em 2007, também levou a Recopa Sul-Americana. Porém, a eliminação nos torneios continental e estadual no ano seguinte encerraram o ciclo.

A demissão, contudo, não demorou a ser desfeita. Ainda em 2007, Abel retornou à Porto Alegre quatro meses depois de sua saída. Nesta passagem, conquistou o Gauchão e só deixou o Inter no ano seguinte, quando fechou com o Al Jazira, dos Emirados Árabes Unidos. Quando retornou ao Brasil, em 2011, assumiu o comando do Fluminense de novo e ganhou um Brasileiro e outro Carioca. Na sexta vez em que comandou o time colorado, em 2014, levou mais um estadual para a sala de troféus do clube.

Em 2020, 'Abelão' fez novamente a diferença no Internacional. Após um primeiro turno de Brasileiro abaixo das expectativas, o clube contratou o técnico para arrumar a casa, e conseguiu. No segundo turno, o time conseguiu bons resultados e chegou a brigar pelo título, mas acabou terminando com o vice-campeonato, atrás do Flamengo. Este foi seu último trabalho no Brasil antes de comandar o Fluminense nesta temporada, em que já conquistou um Carioca pelas três cores.

A importância de Abel para o Internacional e o Fluminense é recíproca. Enquanto os maiores títulos de cada clube foram conquistados sob seu comando, as duas instituições foram as que mais marcaram a carreira e vida pessoal do técnico. Na conquista da Taça Guanabara com o Flu, ele revelou a "alma tricolor", assim como não faltam elogios do técnico ao Colorado. Assim, o confronto promete ser uma disputa, mas também um reencontro para revisitar a história de idas e vindas do treinador entre Laranjeiras e o Beira-Rio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos