Identificação e família alvinegra são apostas do Botafogo por Elkeson, que quer participação em marketing

·2 min de leitura


É oficial: os empresários de Elkeson têm uma proposta do Botafogo pelo atacante na mesa. Em um primeiro momento, as negociações ainda estão em estágio inicial: enquanto o estafe acredita que os valores estão abaixo, o clube aposta na identificação do jogador - e da família dele - com o Glorioso.

+ Propostas do Botafogo, demora e destaque: a saga de Rafael Navarro até o possível acerto com o Palmeiras

A proposta foi oficializada nos últimos dias, como o 'Ge' noticiou primeiro. O LANCE! havia publicado com exclusividade que o atacante era o sonho da diretoria para 2022 e a cúpula alvinegra buscava um plano para oferecer algo ao atacante.

Os valores iniciais ainda estão longe da pedida feita pelos empresários do atleta, livre no mercado após deixar o Guangzhou Evergrande, da China. O interesse do estafe e do jogador é de que haja um desfecho positivo, então há margem para conversa e apresentação de novos números.

Inicialmente, um dos empresários havia procurado Eduardo Freeland, diretor de futebol do Botafogo, para conversar sobre a situação de Elkeson. Durcesio Mello, presidente do clube, entrou no circuito ao ficar sabendo da possibilidade e também iniciou conversas com o agente. Logo, os papos evoluíram para um tom de proposta, saindo apenas da sondagem.

+ Torcida do Botafogo 'invade' redes sociais de Elkeson, que dobra número de seguidores

A contraproposta do estafe deve chegar em breve. Entre um valor maior de salário, uma das pedidas dos empresários será que Elkeson ganhe parte de qualquer ação de marketing que envolva a contratação, seja camisas, plano de sócio-torcedor ou algo que o Alvinegro formular.

Os números iniciais trouxeram um salário com o recebimento de direitos de imagem - algo que nem todos os atletas do elenco recebem atualmente. Há cláusula de confidencialidade sobre qualquer valor envolvendo as negociações.

A grande aposta do Botafogo para tentar convencer Elkeson vem da parte emocional. O filho do jogador mora no Rio de Janeiro e é botafoguense. A proximidade com o garoto e o fato de atuar novamente no clube que o projetou para o mercado asiático são os trunfos que o Alvinegro coloca para tentar convencer o atacante a diminuir os salários.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos