"Ibrahimovic sérvio" está no caminho do Brasil na Copa do Mundo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A maioria dos jogadores procura se distanciar de comparações com seus ídolos. Dusan Vlahovic, porém, é do tipo que aceita bem ser chamado de "Ibrahimovic sérvio".

Coberto de autoconfiança, dono de um faro de gol apurado e refinado, além de ter uma estatura de 1,90 m, o jovem atacante de 22 anos reúne características que justificam o apelido.

Ainda criança, ele já sonhava em ser reconhecido dessa forma. Valeri Bojinov, um ex-companheiro de time, recorda-se sobre como o amigo falava de si mesmo. "Ele era só um garoto de 16 anos e ficava dizendo: 'Eu sou o Zlatan [Ibrahimovic] de Belgrado, vou ser um dos melhores do mundo e jogar nos maiores clubes do mundo'", contou o meia à Gazzetta dello Sport.

Belgrado é a cidade onde o atacante sérvio nasceu, em 28 de janeiro de 2000, e também onde começou a carreira prematura de um dos grandes nomes que estarão na Copa do Mundo do Qatar.

Quando tinha 15 anos, o atacante assinou seu primeiro contrato com o Partizan. Aos 16, estreou profissionalmente, tornando-se o atleta mais jovem a atuar com a camisa do clube.

Pela equipe, o atleta disputou apenas 27 partidas e fez três gols, mas mostrou o suficiente para despertar o interesse de times italianos. Em junho de 2017, acabou contratado pela Fiorentina. Ele só se juntaria ao elenco profissional do clube meses depois, quando completou 18 anos.

A rápida ascensão pesou sobre ele nos dois primeiros anos no futebol italiano, período em que passou mais tempo na reserva, sem conseguir se firmar. Na temporada 2020/21, porém, explodiu.

Entre compromissos pelo Campeonato Italiano e pela Copa da Itália, ele marcou 21 vezes em 40 partidas. Os jornais italianos passaram a compará-lo a um ídolo argentino que brilhou pela Fiorentina na década de 90.

"Com seu físico explosivo e chute formidável, Vlahovic parece Batistuta", escreveu a Gazzetta dello Sport.

Para o próprio jogador, contudo, um dos momentos mais especiais de 2021 não foi um jogo em que fez gol ou um em que a Fiorentina tenha saído de campo vitoriosa. Vlahovic ficou mais emocionado após ter ganhado uma camisa do ídolo Ibrahimovic.

O encontro ocorreu em março. Era a segunda vez que os dois se enfrentariam. Em 2020, no primeiro duelo entre eles, ambos passaram em branco, e houve um empate entre Fiorentina e Milan por 1 a 1.

No segundo embate, o sueco levou a melhor. Além de ter mais chances do que o rival, foi ele quem abriu o caminho para a vitória por 3 a 2.

Após a partida, o sérvio foi ao encontro do atacante do Milan. "Naquela hora, eu pensei: 'Ele [Ibrahimovic] provavelmente está bem agora, ele não está muito bravo. Vou ver se aproveito para pegar a camisa dele'", contou o sérvio ao Dazn.

"Jogando com Ribéry, percebi que os grandes jogadores, mesmo quando vencem, não ficam satisfeitos se não fizeram tudo o que queriam", disse o sérvio. "Mas eu fui em frente ao vestiário do Milan, e o Ibra, como sempre, estava fazendo tudo devagar. Esperei por ele, ele me deu a camisa, e tiramos a foto."

"O que mais me impressionou é que ele me escreveu uma dedicatória em nosso idioma. Isso me deu um grande impulso, um grande prazer", acrescentou, sem citar o idioma em que o sueco fez o texto. O jogador do Milan tem ascendência bósnia e croata.

Ibrahimovic não foi apenas gentil com o rival. Foi mais do que isso. Ele também ficou impressionado com o talento do sérvio. De acordo com a imprensa italiana, o sueco sugeriu ao time de Milão que contratasse o jogador, a quem teria chamado de seu "herdeiro".

Clubes ingleses também entraram na corrida pela contratação, mas quem conseguiu tirá-lo da Fiorentina foi a Juventus. Em janeiro, o time de Turim pagou 75 milhões de euros (cerca de R$ 453 milhões na ocasião) pelo atleta. Na nova casa, ele recebeu a camisa 7, herdada de Cristiano Ronaldo.

A adaptação, desta vez, foi rápida. Em 36 jogos desde que chegou à Velha Senhora, ele marcou 16 gols e tem duas assistências.

Em alta na Itália, passou a carregar também grandes expectativas para a Copa do Mundo. Ele cruzará o caminho do Brasil no torneio, já que a Sérvia está no Grupo G, ao lado dos brasileiros, da Suíça e de Camarões.

Se depender de Vlahovic, os adversários terão trabalho. "Eu estou completamente obcecado com marcar gols. Se não sinto essa emoção, depois de um jogo me sinto vazio, para baixo. Quando marco, sinto como se estivesse voando, no céu. É um vício, eu vivo para isso."

RAIO-X

Dusan Vlahovic, 22 anos

Nascimento

28 de janeiro de 2000, em Belgrado, na Sérvia

Altura

1,90 m

Posição

Atacante

Pé preferencial

Canhoto

Clube atual

Juventus (desde 2022)

Pela seleção (desde 2020)

• 16 jogos • 8 gols

Títulos

Partizan: Liga da Sérvia (2016-17) Taça da Sérvia (2015-16)