Hudson destaca organização tática do Fluminense de Odair


Titular na vitória do Fluminense, por 2 a 0, sobre o Botafogo-PB pela Copa do Brasil, o volante Hudson foi só elogios ao treinador Odair Hellmann, em coletiva no CT Carlos Castilho, na manhã desta sexta-feira. O jogador de 32 anos destacou a organização tática que vem sendo promovida pelo treinador e falou sobre a disputa sadia por posições dentro do elenco tricolor.

– O Odair prioriza muito a organização tática e o time organizado tende a estar mais perto da vitória. Ele também busca boa saída de bola, busca variações ofensivas e cada vez mais formas para o Fluminense vencer de maneira organizada, mas também convincente. O que diferencia os jogadores são pouquíssimas características. É uma disputa sadia. Hoje o Odair não tem apenas onze jogadores, ele tem pelo menos dois bons jogadores em cada função aqui no Fluminense. A competição interna é tão grande que não nos permite estar um pouco abaixo aqui – afirmou Hudson.

O meia contratado no início da temporada também comentou sobre a parceria com Nenê, desde os tempos em que ambos atuavam pelo São Paulo. Hudson se mostrou feliz com a boa fase do colega.

- Quando a gente foi campeão do primeiro turno lá em 2018, ele estava muito bem. Fazia gol, dava assistência. Era referência ao lado do Diego Souza. Tem muita qualidade, ajuda muito, pode decidir o jogo num lance só, mostrou isso por onde passou. É um jogador que agrega muito dentro e fora de campo com a experiência que tem. Fico muito feliz com a fase dele – completou.

Na partida que valeu a classificação na Copa do Brasil, na última quarta, Hudson foi uma das novidades no meio-campo da escalação de Odair. Pela primeira vez o treinador escalou o camisa 25 ao lado de Yago, abrindo mão de Henrique e Yuri. A formação deu mais fluidez ofensiva à equipe com uma saída de bola de maior qualidade. Hudson atuou mais recuado e Yago, como segundo volante.

– Eu sempre tive um pouco dessa característica, de não ser só o primeiro, mas o segundo volante. A gente vai aperfeiçoando ao longo da carreira. Antes do jogo contra o Madureira, até tinha perguntado ao Yago se ele gostava de atuar como volante. Ele disse que gostava, por isso não está tendo dificuldade. Ele, apesar de ser novo, é um cara bastante experiente. Que bom que o Fluminense vem vencendo e que continue assim. O time tem que estar cada vez mais fortalecido.










Dois caminhos na Taça Rio

Com a classificação assegurada na Copa do Brasil, as atenções do Fluminense se voltam novamente ao Campeonato Carioca. No próximo domingo, o Tricolor enfrenta o Resende pela segunda rodada da competição. Para Hudson, o fator casa deve ser um diferencial do time na busca da melhor pontuação geral, que garante vaga na decisão do Estadual.

- A Taça Rio é muito importante para a gente. A gente sabe que uma melhor pontuação pode nos levar à final do Carioca. A gente joga perante nossa torcida, temos que nos tornar cada vez mais fortes no Maracanã para que as outras equipes nos respeitem cada vez mais. Todo time forte tem um mando de campo como ponto forte. Lógico que ser campeão de algum turno é outro caminho, a gente pensa em ser campeão, mas não pode descartar esse caminho. Essa conversa tem que ter – lembrou o volante.

Fluminense e Resende se enfrentam, no próximo domingo, às 18h, no Maracanã. A partida é válida pela segunda rodada da Taça Rio. Na quarta-feira seguinte, o Tricolor faz o jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil, contra o Figueirense, em Florianópolis.





Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também