Hostilizado no Catar, Gilberto Gil agradece pelas manifestações de apoio: 'Torcendo por um Brasil sem ódio'

O cantor Gilberto Gil falou pela primeira vez após ser hostilizado por torcedores brasileiros no estádio Lusail, no Catar. No vídeo publicado nas redes sociais, o cantor agradeceu pela solidariedade recebida por amigos e fãs, depois do episódio que aconteceu na última quinta-feira, dia do jogo entre Brasil e Sérvia pela Copa do Mundo.

— Nossos agradecimentos, meus e da Flora, enfim, por essa solidariedade, essa corrente solidária diante dessa agressão, essa coisa estúpida. Enfim, é o terceiro turno, na verdade, né. Os inconformados querendo manter essa coisa do ódio, da agressividade — disse Gilberto Gil em trecho publicado nas redes.

Gilberto Gil, de 80 anos, e a empresária Flora Gil, de 62 anos, se dirigiam à arquibancada quando foram abordados por torcedores brasileiros com palavrões e gritos de "Vamo, Lei Rouanet", em referência à lei de incentivo a projetos culturais, e "Vamo, Bolsonaro", em apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Ambos não responderam aos insultos.

O ocorrido é um dos assuntos mais comentados no Brasil. No entanto, o episódio não chegou ao conhecimento dos jogadores da seleção brasileira e do técnico Tite, que estão concentrados para a próxima partida da equipe, na segunda-feira, às 13h (de Brasília) contra a Suíça, no Estádio 974.