Honduras vira para cima da Nova Zelândia em partida emocionante pela Olimpíada

·4 minuto de leitura


No começo deste domingo (25), Nova Zelândia e Honduras fizeram um jogo repleto de emoções pela 2ª rodada da fase de grupos da Olimpíada. Atrás no placar duas vezes, os hondurenhos buscaram a virada e venceram por 3 a 2. O resultado deu ao país da América Central os primeiros três pontos na competição.

Agora, os dois países voltam a campo na próxima quarta-feira (28), às 05h30. Em Sapporo, a Nova Zelândia encara a Romênia. Enquanto isso, em Yokohama, Honduras tem pela frente a Coréia do Sul.

>Aplicativo de resultados do LANCE! está disponível na versão iOS

Gol digno de Puskás
O começo da partida foi bastante equilibrado em Kashima. Vindo de derrota na estreia, Honduras tentou propor as primeiras ações, mas não chegou a criar chances reais de ir ao gol.

Por outro lado, a Nova Zelândia contou com a perda de seu capitão Reid logo nos primeiros minutos por conta de uma lesão. Entretanto, os neozelandeses não se abalaram e contaram com a estrela de Cacace para abrirem o placar. Após sobra de escanteio, o lateral, de fora da área, emendou um chute no ângulo, sem chances para Guity, abrindo o placar.

Equipes criam boa chances
Mesmo depois de sair na frente, a Nova Zelândia não diminuiu o ritmo e continuou tentando aumentar o placar. Após receber do companheiro, Wood saiu frente a frente com Guity, que deixou bem o gol e abafou a tentativa do adversário.

Por sua vez, Honduras não deixou barato. Em cobrança de falta, Palma obrigou Woud a voar no canto direito e espalmar. Na sobra, Benguche, livre, cabeceou para fora. Do outro lado, Wood recebeu dentro da área, fez o pivô, e McCowatt finalizou firme. Guity mostrou bom tempo de reação e evitou o que seria o segundo gol neozelandês.

Honduras pressiona e iguala
Depois do susto proporcionado por McCowatt, Honduras virou dona do jogo. Frequentemente no campo de ataque, os hondurenhos chegou a arriscar chutes da entrada da área, mas que acabaram passando longe do alvo.

Apesar da imprecisão de Maríinez e Rodríguez, quem não perdoou foi Palma. Aos 44 minutos, o atacante recebeu na área, fez lindo giro para fugir da marcação, mas viu Woud travar sua finalização. Já no lance seguinte, o goleiro até tentou fazer a defesa no cabeceio do camisa 17, mas a bola morreu no fundo das redes, levando o 1 a 1 para o intervalo.

Nova Zelândia de novo na frente
​Assim como na primeira etapa, a Nova Zelândia viu Honduras dominar a posse de bola nos primeiros minutos. Contudo, novamente os neozelandeses é que foram às redes. Pela esquerda, Just avançou e cruzou rasteiro. Por trás da marcação, Chris Wood apareceu na segunda trave para estufar as redes.

Novamente em desvantagem no placar, Honduras voltou a correr atrás do prejuízo com mais objetividade. Bastante acionado, Palma tentou resolver na individualidade e também no cabeceio, mas não levou muito perigo à meta adversária.

Empate em falha bizarra
Muito parado por conta das substituições, o confronto ficou sem grandes chances na fase intermediária do 2° tempo. Até os 30 minutos, a melhor chance depois do gol foi de Ingham, que tentou um cruzamento e quase mandou para o fundo das redes.

Controlando bem o ataque adversário, a Nova Zelândia não estava sofrendo muitos riscos. Entretanto, se Honduras não conseguiu criar, a defesa neozelandesa fez isso para o adversário. Em uma indecisão, o zagueiro Stanger e o goleiro Woud não tiraram a bola, e Obregon foi mais rápido, deixando tudo igual em Kashima.

Virada improvável
Logo depois de sofrer o empate, a Nova Zelândia quase voltou a ficar na frente. Em cobrança de falta, Wood obrigou Guity a trabalhar bem para evitar o terceiro gol dos oceânicos.

Bastante ofensiva, a seleção hondurenha pressionou nos minutos finais em busca do empate. Aos 39 minutos, Rivas saiu frente a frente com o goleiro, que abafou a finalização. Contudo, o arqueira nada pôde fazer aos 42, quando o camisa 10 recebeu na área e bateu no canto esquerdo, dando a vitória à Honduras.

FICHA TÉCNICA
NOVA ZELÂNDIA 2 X 3 HONDURAS

Local: Ibaraki Kashima, em Kashima (JAP)
Data/horário: 25 de julho de 2021, às 5h (horário de Brasília)
Árbitro: Orel Grinfeld (ISR)
Assistentes: Roy Hassan (ISR) e Idan Yarkoni (ISR)
Gols: Cacace (9'/1°T) (1-0), Palma (45'/1°T) (1-1), Wood (3'/2°T) (2-1), Obregon (33'/2°T) (2-2), Rivas (42'/2°T) (2-3)
Cartões Amarelos: Decas (Honduras), Waine, Stamenic (Nova Zelândia)

NOVA ZELÂNDIA: Woud, Pijnaker, Reid (Stanger, aos 6'/1°T) e Stensness; Cacace, Lewis (Stamenic, aos 18'/2°T), Bell e Ingham; McCowatt (Waine, aos 18'/2°T), Wood e Just (Champness, aos 40'/2°T). Técnico: Danny Hay.

HONDURAS: Guity, Meléndez (Oliva, aos 16'/2°T), Maldonado (Carlos Meléndez, aos 16'/2°T), García e Decas; Palma, Rodríguez, Álvarez (Rivas, aos 16'/2°T) e Reyes; Benguche (Pineda, aos 0'/2°T) e Maríinez (Obregon, aos 25'/2°T). Técnico: Matheus Falero.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos