Homens armados atacam universidade no Afeganistão e confronto deixa ao menos 19 mortos

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Afghan police arrive at the site of an attack at Kabul University in Kabul, Afghanistan, Monday, Nov. 2, 2020. Gunfire erupted at the university in the Afghan capital early Monday and police have surrounded the sprawling campus, authorities said. (AP Photo/Rahmat Gul)
Polícia afegã chega ao local de um ataque na Universidade de Cabul em Cabul, Afeganistão, segunda-feira, 2 de novembro de 2020 (Foto: AP Photo/Rahmat Gul)

Um ataque feito contra estudantes na Universidade de Cabul, no Afeganistão, nesta segunda-feira (2), deixou ao menos 19 mortos e 22 feridos. A organização terrorista Estado Islâmico (EI) reivindicou a autoria do atentado, segundo a agência vinculada ao grupo, Amaq News. A informação não é confirmada pelo governo afegão.

Três agressores invadiram a universidade e atacaram os alunos durante as aulas antes de serem mortos pelas forças de segurança, que foram acionadas assim que os primeiros disparados foram feitos. "Eles atiraram em todos os alunos que viam. Atiraram até nos alunos que fugiam", disse Fathullah Moradi, que testemunhou o ataque.

De acordo com jornais locais, no momento do ataque estava sendo realizada uma feira de livros, com a presença do embaixador iraniano no Afeganistão, Bahador Aminian. Fotos compartilhadas por um alto funcionário do governo mostravam alunos mortos nas salas de aula, alguns ao lado de seus livros.

Leia também

O grupo radical islâmico Taleban disse que seus combatentes não estavam envolvidos no ataque. Nenhum outro movimento assumiu a autoria da ação até agora. O governo do país, no entanto, não confirma essa informação.

Segundo ataque

Esse é o segundo ataque a uma instituição educacional na cidade em pouco mais de uma semana, segundo informações da agência Reuters.

Em 24 de outubro, um homem-bomba matou 24 pessoas, incluindo adolescentes, em um centro de educação em Cabul. O Estado Islâmico assumiu a responsabilidade pelo ataque, mesmo sem apresentar provas.

A violência assola o país enquanto negociadores do governo e do Taleban se reúnem no Qatar para tentar intermediar um acordo de paz. Ao mesmo tempo, os Estados Unidos trazem parte das tropas que operam no Afeganistão de volta para casa.