Homem é acusado de racismo contra flamenguistas na Supercopa

·2 min de leitura
Homem, que tinha acesso livre ao gramado da Arena Pantanal, teria chamado torcedores do Flamengo de:
Homem, que tinha acesso livre ao gramado da Arena Pantanal, teria chamado torcedores do Flamengo de: "Macacos fedorentos". Foto: (Reprodução/Twitter)

Um caso lamentável foi registrado por torcedores do Flamengo durante a realização da Supercopa do Brasil na Arena Pantanal, em Cuiabá. Vídeos divulgados nas redes sociais mostram um homem supostamente imitando um macaco em direção aos flamenguistas. Além deste ato, há um outro vídeo em que um funcionário da segurança do estádio teria afirmado que o homem em questão havia chamado os torcedores de "macacos fedorentos".

O homem, que tinha livre acesso ao gramado da Arena Pantanal e segurava uma camisa do Atlético Mineiro nas mãos, passa pela frente dos torcedores do Flamengo, em direção aos atleticanos, e, quando retornava ao centro do campo, se vira para a arquibancada que abrigava os torcedores do clube carioca e faz o gesto.

Leia também:

No vídeo abaixo, gravado pelo repórter fotográfico Rogério Florentino do portal Olhar Direto, um dos seguranças, vestindo o colete laranja que identifica a função de steward e um crachá relata que: "Chamou de macaco fedorento, que eu ouvi. Aí, o pessoal também não colaborou. Muitos não gostaram. Houve reclamação da parte da torcida. Ele fez sinal, gesto, muitos gravaram pelo celular".

A assessoria de comunicação do Atlético Mineiro fez questão de esclarecer que o homem que aparece nas imagens gravadas pelos torcedores do Flamengo não faz parte do quadro de funcionários do clube. Pessoas que estavam no estádio, porém, afirmam que ele estava acompanhando a diretoria de futebol do Atlético Mineiro no gramado.

Questionado pela Polícia Militar, o homem teria dito que o gesto era uma imitação da comemoração do atacante Hulk.

Atualização

Em nota oficial publicada em seu site e nas redes sociais do clube, o Atlético Mineiro afirmou que ele não faz e nunca fez parte do quadro de funcionários do clube, que solicitou que ele fosse retirado do gramado e repudiou atos de racismo. Leia a nota completa:

Sobre o suposto episódio de racismo repercutido nas redes sociais e ocorrido ontem, no gramado da Arena Pantanal, em Cuiabá, depois da conquista do título da Supercopa do Brasil pelo Galo, o Atlético esclarece:

1 - O indivíduo que aparece nas imagens nunca fez e não faz parte do quadro de funcionários do Galo, tampouco é prestador de serviços do Clube;

2 - O Clube não tem conhecimento de como o indivíduo teve acesso ao gramado, embora saiba que ele não portava credencial que o autorizasse a estar no local;

3 - Ao perceber a presença de pessoa estranha no gramado, o Atlético, através de um dos seus seguranças, encaminhou o indivíduo aos seguranças da CBF, para que o mesmo fosse imediatamente retirado do local;

4 - O Clube vai aguardar posicionamento das autoridades sobre o assunto, para que seja esclarecido se o gesto foi uma imitação de comemoração ou um ato discriminatório;

5 - O Galo reforça sua posição de repudiar veementemente qualquer ato de racismo ou de preconceito contra quem quer que seja. O Galo, afinal, é preto e branco!