Holanda e Equador empatam (1-1) e lideram Grupo A; Catar é 1ª seleção eliminada da Copa

Holanda e Equador empataram em 1 a 1 nesta sexta-feira, no estádio Khalifa Internacional em Doha, e lideram o grupo A da Copa do Mundo, ambos com 4 pontos e mesmo saldo de gols, após vitórias por 2 a 0 na estreia.

O resultado elimina o Catar, que mais cedo havia perdido para o Senegal por 3 a 1 e agora só pode chegar a 3 pontos, uma triste estreia de um país-sede na história da competição.

A torcida do Equador cantou do início ao fim e marcou maior presença no Khalifa, com as camisas amarelas superando em número as de cor laranja nas arquibancadas do estádio que registrou um público total de 44.833 espectadores.

- Mudanças nos times -

Em campo, o técnico do Equador, o argentino Gustavo Alfaro, fez uma mudança em relação ao time que começou contra o Catar.

O lateral-esquerdo Romário Ibarra saiu para Jackson Porozo formar uma linha defensiva de três homens com dois alas: Ángelo Preciado e Pervis Estupiñán.

Com isso, o capitão e artilheiro Enner Valencia entrou como único atacante e Michael Estrada foi recuado para ocupar o lado esquerdo do meio-campo.

Do lado holandês, o técnico Louis Van Gaal, também se mostrou precavido, fazendo três mudanças em relação ao time que venceu o Senegal por 2 a 0. A Holanda também entrou em campo com uma linha de três zagueiros (Virgil Van Dijk, Nathan Aké e Jurrien Timber, que substituiu Matthijs De Ligt) e dois alas, Denzel Dumphries e Daley Blind.

No meio-campo Teun Koopmeiners e Davy Klaassen dando apoio ao 'maestro' do time Frenkie de Jong, e no ataque Cody Gakpo e Steven Bergwijn.

- Holanda abre o placar -

Logo aos 5 minutos o ala Cody Gakpo aproveitou uma sobra na entrada da área após uma boa jogada de Klaassen, dominou e soltou uma bomba de pé esquerdo no ângulo, sem chances para o goleiro Hernán Galíndez.

Foi o segundo gol do jogador, que atua no PSV Eindhoven, nesta Copa do Mundo.

Ele já havia marcado na vitória sobre o Senegal, na primeira rodada.

Apesar do baque logo no início do jogo, a torcida equatoriana não desanimou e começou a gritar a tradicional frase "Si, se puede!" ('Sim, é possível', em tradução livre) para empurrar sua seleção.

E o canto parece ter surtido efeito. Dois minutos depois Méndez, na área, cabeceou para Estupiñan soltar a bomba. Mas Koopmeiners conseguiu afastar de cabeça.

Só aos 23 minutos o Equador levou mais perigo. Após uma bela triangulação, Caicedo avançou pela ponta direita e cruzou buscando Valencia, mas Timber afastou.

Os equatorianos seguiam buscando o empate e aos 31 minutos Valencia ajeitou e soltou uma bomba. O goleiro Noppert se esticou fazendo uma boa defesa.

Com a pressão da seleção sul-americana, os holandeses buscaram diminuir o ritmo, tocando mais a bola, cientes de que a vitória os classificaria por antecipação para as oitavas de final.

Mas nos acréscimos da primeira etapa, a Holanda levou um susto.

Após uma cobrança de escanteio, Gakpo não conseguiu afastar totalmente e a bola sobrou para Preciado chutar da entrada da área. Estupinán desviou para o fundo da rede mas o gol foi anulado porque Porozo, impedido, atrapalhou o goleiro holandês.

- Empate merecido -

A Holanda começou o segundo tempo com uma alteração: Bergwijn deu lugar a Memphis Depay, que aos poucos vem recuperando ritmo de jogo. Mas dessa vz quem marcou cedo foi o Equador.

Em um vacilo da defesa holandesa na saída Estrada dominou e lançou na área. Estupiñan disparou cruzado, o goleiro Noppert espalmou e a bola sobrou para Valencia que dessa vez nao perdoou e fez o gol de empate, para o delírio da torcida equatoriana (49).

Foi o terceiro gol de Valencia na Copa do Mundo. Ele lidera a artilharia da competição depois de ter marcado os dois gols na vitória sobre o Catar. Os sul-americanos não se deram por satisfeitos e queriam mais.

Em outra jogada de ataque Preciado avançou pela direita e cruzou rasteiro na área para Estrada que chutou em cima dos defensores holandeses. Na sobra, Plata tentou o chute e a bola explodiu no travessão (58).

Doze minutos depois, após uma cobrança de escanteio, a bolou sobrou para Preciado que tentou de primeira, mas longe da meta.

A Holanda seguia apática, sem dar chutes a gol, e para tentar mudar o panorama Van Gaal fez duas substituições. Trocou Koopmeiners pelo meia Marten De Roon e colocou o centroavante Wout Weghorst no lugar de Gakpo.

Mas essas alterações não surtiram efeito e quem buscava jogo era o Equador, empurrado por sua apaixonada torcida. A empolgação só deu lugar à preocupação quando o artilheiro Valencia caiu no chão e foi retirado de maca, com uma bolsa de gelo no joelho.

O empate deixa a Holanda em posição confortável, precisando de apenas um empate contra a fraca seleção do Catar, já eliminada, na terça-feira, no estádio Al Bayt às 18h locais (12h de Brasília) para avançar às oitavas sem depender de ninguém.

No mesmo horário, o Equador volta ao estádio Khalifa, desta vez para enfrentar o Senegal em uma 'final'. Os sul-americanos também precisam apenas de um empate enquanto que para os africanos, só a vitória interessa.

aam