Holanda abre as oitavas da Copa contra os EUA pressionada para mostrar bom futebol


A Holanda entra em campo na tarde deste sábado para enfrentar os Estados Unidos por uma vaga nas quartas de final da Copa do Mundo. Se a classificação é o objetivo principal, os últimos acontecimentos geram uma outra pressão na Laranja: a necessidade de mostrar um bom futebol dentro de campo.

A mídia holandesa vem criticando com afinco o desempenho dos jogadores, até aqui, no Mundial do Qatar. No Grupo A, a Laranja terminou a fase de grupos na liderança. No entanto, isso não bastou. As atuações diante de Senegal, Equador e Qatar não agradaram.

- Claro que queremos oferecer mais entretenimento, mas o foco é principalmente no resultado. Acho que fomos bem na fase de grupos e estou confiante de que continuaremos a jogar melhor - declarou o lateral Dumfries, em entrevista. O assunto foi debatido na última coletiva da Holanda.

As análises dos periódicos também não perdoaram o técnico Louis Van Gaal apesar dos resultados. Para muitos, o comandante não tem conseguido extrair o melhor futebol com os jogadores que têm em mãos.

+ Holanda 'foge' de lesões na Copa com preparação forte e cuidado de Van Gaal

O desafio para o experiente treinador é conseguir avançar às quartas de final e agradar os críticos. Uma seleção acostumada com elogios por um futebol alegre, dominador e para frente, que gerou a alcunha de 'Laranja Mecânica' da década de 70, agora tenta lidar com expectativas ruins sobre seu futebol.

A LARANJA MECÂNICA

Johan Cruyff foi o dono da bola no duelo entre Holanda e Brasil na Copa do Mundo de 1974. A Laranja Mecânica eliminou os canarinhos com um triunfo por 2 a 0 e ele anotou um dos gols
Johan Cruyff foi o dono da bola no duelo entre Holanda e Brasil na Copa do Mundo de 1974. A Laranja Mecânica eliminou os canarinhos com um triunfo por 2 a 0 e ele anotou um dos gols

Na década de 70, a seleção de Johan Cruijff foi conhecida como Laranja Mecânica (Foto: STAFF / AFP)

O apelido de Laranja Mecânica foi atribuída à Holanda na Copa do Mundo de 1974, na Alemanha. Naquela oportunidade, a disposição tática da equipe foi considerada uma revolução e também conhecida como "carrossel". Nela, os jogadores não tinham posições fixas em campo, algo que confundia os adversários. Além disso, a composição do nome é uma referência à cor laranja da camisa holandesa.

Dentro de campo, os holandeses avançaram até a final daquele torneio eliminando, inclusive, o Brasil pelo caminho. Na decisão, acabaram derrotados pela Alemanha. Quatro anos depois, voltaram à decisão e sofreram um revés para a Argentina. Aquela equipe foi considerada a melhor seleção da história do país.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Na primeira fase, a Holanda somou sete pontos. Foram duas vitórias e um empate; cinco gols marcados e um sofrido. Estreou com triunfo por 2 a 0 sobre Senegal, empatou por 1 a 1 com o Equador e fechou com novo 2 a 0, mas sobre o Qatar. Porém, o futebol "pragmático" acabou ganhando os holofotes da mídia.

Holanda e Estados Unidos duelam nas oitavas de final da Copa do Mundo às 12h deste sábado. O confronto acontece no estádio Khalifa International, em Doha, no Qatar e vale vaga entre os oito melhores do torneio.