Holan fala em projeto de futuro e pede paciência com jovens do Santos após vitória no Paulistão

Fabio Utz
·2 minuto de leitura

Dos onze jogadores que formaram o time titular do Santos na partida diante da Inter de Limeira, neste domingo, pelo Campeonato Paulista, oito estão com 21 anos ou menos. Após a difícil vitória por 2 a 1, o técnico Ariel Holan saiu em defesa da garotada.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A equipe, mesmo diante de um rival que tem a segunda pior campanha do Paulistão, quase não somou três pontos. Abriu o placar com um gol contra e, depois de sofrer o empate, só foi garantir os três pontos aos 42 minutos do segundo tempo. Isso, porém, não abala o treinador. "Quero saber que times jogam com uma média de 21 anos. São muitos jovens que jogaram pela primeira vez e que estão ganhando experiência. Sabemos que temos um elenco curto, não vamos repetir todas as vezes e estamos fazendo um trabalho pensando no futuro. É muito importante para o Paulista esse triunfo e a forma que jogamos", disse.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Na opinião do argentino, os atletas necessitam de uma sequência para poderem se adaptar e, aí sim, serem avaliados de uma forma mais precisa. Por isso, qualquer conclusão é prematura. "Sabemos que alguns jovens precisam de experiência, e a única maneira de obter é jogando. Não podemos ser categóricos. Necessitam de um processo de adaptação, trabalho e oportunidades de jogar. À medida que vão jogando, vamos chegando a uma conclusão". A opção por essa escalação se deu devido à proximidade do duelo de estreia na Libertadores. Nesta terça-feira, o Peixe recebe o Barcelona-EQU a partir das 19h15min. Aí sim, com força máxima.

Para mais notícias do Santos, clique aqui.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.