Hoje rival, Johnny Herrera aponta Corinthians como o melhor do Brasil

Hoje novamente goleiro do Universidad de Chile, clube que o revelou, Johnny Herrera fala com orgulho de sua passagem pelo Corinthians. Nem mesmo o fato de só ter atuado em nove partidas em 2006, com 13 gols sofridos, fez o chileno guardar rancor do período em que trabalhou no Parque São Jorge.

“Sempre será especial jogar contra um ex-clube. Apesar de ter jogado pouco, tenho bonitas recordações do Corinthians. Agora, quero deixar uma boa impressão coletiva e individual. Enfrentaremos uma tremenda equipe, que é, de longe, a maior do Brasil. Enfrentar a melhor equipe do país que tem os melhores jogadores do mundo é realmente um desafio”, discursou Johnny Herrera.

O goleiro fala com a propriedade de quem teve dificuldades para se firmar no Corinthians. Com 24 anos na época em que se transferiu para o futebol brasileiro, ele não conseguiu superar a concorrência dos também criticados Sílvio Luiz e Marcelo, mesmo com a moral de quem havia sido medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Sidney, em 2000.

De volta ao Chile após fracassar no Corinthians, Johnny Herrera passou por Everton e Audax Italiano antes de retornar ao Universidad de Chile. O goleiro ainda ficou marcado por ter atropelado e matado uma jovem de 22 anos na província de La Reina, em dezembro de 2009.

Enquanto estava no seu país, Johnny Herrera continuou acompanhando o Corinthians. “Quando a equipe foi rebaixada, mudou todo o time. Hoje, o Corinthians tem um estádio e um complexo de treinamentos novos, mas ainda mantém algumas pessoas de quando estive lá. Recordar essa passagem por São Paulo será especial. Insisto que não joguei muito, mas guardei mais coisas positivas do que negativas”, comentou.

O reencontro de Johnny Herrera com o Corinthians ocorrerá às 21h45 (de Brasília) desta quarta-feira, em Itaquera, estádio que não existia quando ele estava no clube. O jogo de volta da primeira fase da Sul-Americana está marcado para apenas 10 de maio, em Santiago.