História curiosa, exemplo de gestão, mas time que não mete medo: conheça o rival do Galo

O Atlético-MG começa sua caminhada na Copa Libertadores 2017 nesta quarta-feira (8), às 19h30 (de Brasília), contra o Godoy Cruz, na Argentina. Um dos favoritos ao título, o Galo sonha com o bicampeonato e é o melhor time do grupo 6 da competição, que também conta com Libertad e Sport Boys.

Vivendo fase gloriosa, com conquistas nacionais e internacionais, grandes craques e ótimos times, o Atlético-MG é temido e se tornou muito conhecido por toda a América. O Godoy Cruz, por outro lado, é um clube pouco conhecido. Por isso, a Goal Brasil apresenta o adversário do Galo na estreia na Libertadores.

História curiosa

O Godoy Cruz é da cidade de mesmo nome, que tem menos de 200 mil habitantes e fica na região de Mendoza, na Argentina, aos pés da Cordilheira dos Andes, na altura de Santiago, do Chile.

River Godoy Cruz 18022016

(Foto: Télam)

Fundado em 1930, o clube é chamado por algumas pessoas de Bodeguero, palavra em espanhol para se referir ao dono de uma mercearia. Isso porque o Godoy Cruz é o resultado de uma fusão do Club Deportivo Bodega Antonio Tomba com o Sportivo Godoy Cruz. O Tomba é outro apelido do time, por conta de Antonio Toba, falecido empresário, que era milionário e dono da mercearia que deu origem ao Club Deportivo Bodega Antonio Tomba.

Exemplo de gestão

Talvez esse fato explique porque o Godoy Cruz é uma exceção no futebol argentino. A maior parte dos clubes hermanos sofre com graves problemas financeiros e estruturas precárias, mas não o rival do Galo.

O Expresso, como também é chamado o Godoy Cruz, é um dos únicos cinco clubes argentinos que tinham um balanço de contas positivo, sem dívidas, no meio de 2016. Além disso, o centro de treinamentos da equipe é referência no país. A equipe principal e as categorias de base treinam no local, que conta com 11 campos de futebol, ginásios, clínica médica e terá, no futuro, um hotel cinco estrelas.

Godoy Cruz Argentina 2016

(Foto: Getty Images)

O Godoy Cruz também planeja ampliar a capacidade de seu estádio, o Feliciano Gambarte, que atualmente é de apenas 14 mil pessoas. A torcida, afinal, costuma ocupar mais de 20 mil lugares do Estádio Malvinas Argentinas, onde a equipe tem jogado e enfrentará o Atlético-MG nesta noite.

Má fase

No entanto, se fora de campo, a fase é excelente, dentro dele ocorre o oposto. O time não fez um jogo oficial sequer em 2017, assim como todo o futebol argentino, que vive crise política e financeira, teve os direitos televisos suspensos pelo Governo e está parado desde dezembro de 2016.

O Godoy Cruz, sem estrelas e grandes jogadores, tem a terceira pior defesa do Campeonato Argentino, um ataque inexpressivo e ocupa apenas o 20º lugar do torneio. Ainda no fim do ano passado, demitiu Sebastián Mendez, que foi o responsável por levar o time à Libertadores. Lucas Bernardi, que era capitão do Newell's Old Boys em 2013, quando a equipe foi eliminada pelo Atlético-MG na semifinal da Libertadores daquele ano, assumiu o cargo.

Leia também