Higuaín e Dybala infernizaram defesa do Monaco e decidiram para Juventus

Antes do jogo entre Monaco e Juventus começar, havia expectativa pelo duelo entre o rápido ataque do time francês contra a forte defesa da equipe italiana. Porém, quando a bola rolou, o que decidiu o jogo foi a técnica do ataque da Juventus: com importante ajuda de Dybala, Gonzalo Higuaín fez dois gols na vitória por 2 a 0. Mais do que isso: a dupla infernizou a defesa adversária.

Para Higuaín é uma grande redenção: ele sempre foi criticado por fazer poucos gols em grandes jogos, inclusive na Liga dos Campeões. Nesta edição ele tinha marcado apenas três gols em nove partidas. Agora já melhorou a média para 0,5 gol por jogo.

Dybala participou como coadjuvante dos dois gols da Juventus. No primeiro ele deu um toque de letra iniciando a tabela entre Daniel Alves e Higuaín, que terminou com finalização certeira e potente do argentino.

Paulo Dybala Monaco Juventus Champions League


Dybala não foi o protagonista, mas jogou bem (Foto: Getty Images)

No outro gol Dybala iniciou a pressão e ajudou a roubar a bola no meio-campo. E então tudo se repetiu: Daniel Alves ficou com a bola e cruzou na área, onde estava Higuaín, que finalizou de primeira, de perna esquerda, com sucesso.

Veja os números de Higuaín e Dybala na Liga dos Campeões 2016/2017:

 

Enquanto isso, do outro lado, o ataque do Monaco foi pouquíssimo eficiente. Kylian Mbappé e Falcao García, que foram muito badados merecidamente, porque realmente tiveram boas atuações na Liga dos Campeões, fracassaram. Eles até receberam muitas bolas, pois o time teve controle da posse de bola em muitos momentos. Mas as chances de gol foram raras. Ambos pararam em Buffon. Mbappé chutou em cima dele no começo do 1º tempo. Pouco depois do intervalo, Falcao teve sua oportunidade, arriscou mais no canto, mas o veterano também defendeu.