Heroína vira deusa no final da saga Vingadores vs X-Men vs Eternos

O maior evento que a Marvel Comics apresentou neste ano foi a saga envolvendo os Eternos, os X-Men e os Vingadores, em A.X.E.: Judgment Day, que, basicamente, colocou os supregrupos em conflito para, claro, reuni-los contra uma grande ameaça em comum, capaz de destruir a Terra. Os resultados do evento foram interessantes, e um deles transformou uma heroína em uma criatura com poderes de uma deusa.

Atenção: spoilers de A.X.E .: Judgment Day!

Bem, para quem não sabe do que se trata, o evento A.X.E .: Judgment Day teve seis edições, em seis meses de publicação e dezenas de revistas. A treta é enorme, e outro dia explico toda ela aqui no Canaltech, mas, o que é mais importante saber para a revelação desta matéria é o resumo dela: os Eternos passaram a considerar os X-Men como Deviantes, após os mutantes dominarem a morte e conseguirem ressuscitar os mortos; os Vingadores tentaram evitar o conflito entre os dois grupos, mas acabaram acordando um Celestial, que decidiu julgar quem viveria ou morreria; e aí todo mundo teve que se juntar para salvar a Terra.

No final, depois de várias tentativas dos grupos em deter o Celestial Progenitor, e muitas mortes, A.X.E.: Judgment Day #6, escrito por Kieron Gillen e desenhado por Valerio Schiti, os heróis encontraram a verdadeira forma do Progenitor, na forma de um alienígena que trabalha dentro do deus espacial. Liderados por um renascido Capitão América, que voltou da morte graças aos X-Men; e pelo Homem de Ferro, o grupo de heróis e os poderosos Eternos conseguiram convencer a entidade que os terráqueos são capazes de mudar — e assim muita gente que já tinha morrido voltou à vida.

Treta entre Vingadores, X-Men e Eternos foi o maior evento do ano na Marvel Comics (Imagem: Reprodução/Marvel Comics)
Treta entre Vingadores, X-Men e Eternos foi o maior evento do ano na Marvel Comics (Imagem: Reprodução/Marvel Comics)

Isso mudou o julgamento inicial do Progenitor, que tinha declarado a morte de todos na Terra, e o deus espacial, então, foi responsável pela criação da heroína com os poderes de uma deusa: o Celestial transferiu seus poderes para Ajak, que se transformou em um misto de Eterna e Celestial, em uma forma divina.

Com isso, Ajak fica responsável por “monitorar” o comportamento dos terráqueos, julgando constantemente o comportamento de todos na Terra, com o poder de aniquilar a existência de toda a humanidade caso não mereça mais viver. Ou seja, o Dia do Julgamento do título da saga se torna diário, e Ajak precisa sempre colocar na balança se vale a pena salvar a todos.

No final da treta entre Vingadores, X-Men e Eternos, Ajak se torna uma deusa que precisa julgar a humanidade diariamente (Imagem: Reprodução/Marvel Comics)
No final da treta entre Vingadores, X-Men e Eternos, Ajak se torna uma deusa que precisa julgar a humanidade diariamente (Imagem: Reprodução/Marvel Comics)

Além de um homo sapiens, o Capitão América, ter voltado à vida por conta da nova ciência dos X-Men, o que implica o fato de agora a Terra ser capaz de realmente vencer a morte quando quiser, a maior mudança de status quo no Universo Marvel é a escala de poder — que já vem sendo revisada no título Defenders: Beyond.

As consequências dessas revelações, e de mais uma porrada de coisa que aconteceu durante A.X.E.: Judgment Day, vão reverberar nos próximos anos da Marvel Comics. A começar pela própria Ajak, já que, a partir de agora, todos os heróis e vilões da Terra sabe que a deusa Eterna-Celestial está constantemente julgando os atos da humanidade. Pode apostar que logo veremos mais desdobramentos disso, incluindo o esforço que a própria Ajak terá que fazer constantemente para manter sua sanidade — e a diplomacia — em dia.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: