'Herdeiro' da 10 da Seleção, Everton Ribeiro faz partida segura e se firma no leque de opções de Tite

Vinícius Faustini
·1 minuto de leitura


Nem mesmo a atuação instável da Seleção Brasileira foi capaz de afetar o rendimento de Everton Ribeiro no Morumbi. Designado como "herdeiro" momentâneo da camisa 10 em virtude a lesão de Neymar na partida das Eliminatórias da Copa do Mundo, o meia mostrou armas promissoras em sua primeira partida como titular canarinho no triunfo por 1 a 0 sobre a Venezuela.

Participativo desde a etapa inicial, Everton Ribeiro acertou 41 dos 46 passes que tentou (média de 89%), de acordo com o SofaScore Brazil, sendo dois deles decisivos. Além disto, a jogada do gol de Firmino passou por seus pés.

- Foi uma responsabilidade grande ser titular, ainda mais usando a 10. Esperava esse momento chegar. Foi um sonho realizado, no qual pude participar da jogada do gol, que foi bem trabalhada - disse.

O seu desempenho reafirma o meia como uma boa opção para o leque de Tite, especialmente depois de uma partida na qual a Seleção se ressentiu de desfalques. Prestes a ser o camisa 10 diante de um adversário mais intenso como o Uruguai, o meia do Flamengo projeta uma partida mais franca e novos rumos para desbravar.

- Vai ser uma partida mais aberta. Eles saem mais para o ataque, a gente terá espaço - declarou.

A esperança é que, na Seleção Brasileira, diante de rivais difíceis, ele saiba se sobressair e mostrar que, para ser uma cartada pelo meio, o caminho brasileiro até a Copa do Qatar não se resume a Neymar.