Herói ‘multiuso’ Pimpão mantém pés no chão e fala sobre renovação com o Botafogo

O Botafogo vem surpreendendo muita gente desde que saiu da zona de rebaixamento e, como um foguete, terminou o Brasileirão de 2016 na parte de cima da tabela. A equipe comandada pelo técnico Jair Ventura vem, desde então, mostrando um futebol que na maioria das vezes é seguro na defesa e efetivo no ataque. Mas talvez a marca maior desse elenco seja a entrega, a vontade e identificação com o clube.

Rodrigo Pimpão é um dos maiores exemplos. O atacante participou da campanha do título da Série B em 2015, foi negociado para o futebol árabe e depois voltou para ser um dos muitos destaques no Brasileirão 2016 do Glorioso. Mas nunca viveu um momento tão espetacular quanto o atual. O camisa 17, que começa a negociar a renovação do seu contrato (que termina no final do ano), é o jogador mais decisivo da Libertadores da América até o momento.

“Não digo que sou decisivo. Me dedico muito nos treinamentos. Faço trabalhos dentro e fora de campo para ter um bom desempenho. Os frutos desses trabalhos estão dentro de campo. Digo que a minha equipe é decisiva, que todos se doam ao máximo. Todo mundo está querendo”, disse, em entrevista coletiva nesta quinta-feira (16). “Não conquistamos nada ainda. Estamos no caminho certo e temos que manter essa união no grupo. Nunca vi um grupo como esse nosso e temos que ter cuidado para que nenhuma mosquinha possa infiltrar aqui”.

Rodrigo Pimpão Botafogo Estudiantes Libertadores 15032017

Pimpão fez o gol que garantiu os primeiros três pontos na fase de grupos (Foto: Buda Mendes/Getty Images)

Nos quatro jogos em que esteve em campo pela competição continental, Pimpão decidiu em todos eles. Na estreia em casa, contra o Colo-Colo, participou do lance do segundo gol; na volta, aproveitou rebote do goleiro para estufar as redes e garantir a classificação para a segunda fase classificatória. Contra o Olímpia, Rodrigo Pimpão fez o jogo de sua vida até o momento: no Estádio Nilton Santos, fez o golaço de bicicleta que deu a vantagem para o Glorioso na volta. Já no Paraguai, correu ininterruptamente, mas não evitou a derrota que levou a vaga à fase de grupos para os pênaltis. Nas cobranças alternadas, converteu o seu chute e comemorou a vitória conquistada, também, graças às defesas do goleiro Gatito Fernández.

O terceiro gol em quatro partidas veio na fase de grupos, mas com o espírito de ‘matar ou morrer’ com o qual o Botafogo tem jogado neste início de ano. A equipe carioca encontrava muitas dificuldades contra o Estudiantes, e foi graças a mais um gol de Pimpão que o Glorioso estreou com vitória na fase de grupos.

Pimpão é um dos jogadores de ataque que mais buscam ajudar o time na fase defensiva, é quem mais arrisca chutes a gol, um dos que mais buscam lances ofensivos pelos lados do campo e, claro, é o artilheiro do time na temporada e na Libertadores (3 gols). Ou seja, além de ser um dos heróis de um time cuja força está no grupo, é uma das principais engrenagens da equipe armada por Jair Ventura, que apesar de tudo garantiu que nem mesmo Pimpão tem lugar garantido no time.

“O Pimpão não está pelos gols dele não (risos), ele tem que se provar sempre, como todos. Ele tem muita velocidade, me dá uma recomposição tática muito boa”, disse o treinador alvinegro após a vitória inédita sobre o Estudiantes.

Rodrigo Pimpão Botafogo Olimpia Libertadores 16 03 2017

Jogador mais decisivo da Libertadores até aqui, Pimpão se identificou com o Glorioso (Foto: Foto:Satiro Sodré/SSPress/Botafogo)

Rodrigo Pimpão pode ter que se provar sempre, mas já que é no Botafogo que o atacante vive o melhor momento da carreira não tem porque mudar de casa. Ao menos é a vontade do jogador: “Não teve nenhuma reunião, mas alguns dirigentes já me procuraram para conversar. No mais tardar na próxima semana vamos sentar para ver como vai ficar a situação. A minha intenção é ficar”.

E se dizem que todo botafoguense é supersticioso, vale lembrar que desde a chegada de Pimpão a Estrela Solitária só evoluiu, depois da crise que assolou o clube em 2014.