Hamraoui, jogadora do PSG, descreve a cronologia do ataque sofrido

·2 min de leitura
PARIS, FRANCE - SEPTEMBER 24: Kheira Hamraoui controls the ball during a Paris Saint-Germain Women training session on September 24, 2021 in Paris, France. (Photo by Aurelien Meunier - PSG/PSG via Getty Images)
Kheira Hamraoui foi atacada com barras de ferro quando retornava de confraternização do elenco do PSG. Foto: (Aurelien Meunier - PSG/PSG via Getty Images)

O Caso Hamraoui vai ganhando mais capítulos, mesmo que ainda não tenha esclarecimentos mais definitivos. O periódico L'Equipe, da França, publicou parte do relato da jogadora do Paris Saint-Germain à polícia de Versalhes sobre a agressão sofrida por ela no dia 4 de novembro.

Kheira Hamraoui citou, dando horários, localizações e companhias, seus passos no dia em que foi atacada com barras de ferro por homens encapuzados.

Leia também:

19h15 - Hamraoui sai de sua casa, no município de Chatou, recebendo carona de Aminata Diallo, sua parceira de PSG, (que foi a primeira suspeita do caso, mas liberada pela polícia) para irem ao jantar de confraternização da equipe em um Toyota Corolla emprestado pelo clube. Ambas vão em direção à casa de Sakina Karchaoui, lateral-esquerda do PSG.

19h50 - Chegam em um restaurante no Bois de Boulogne. (À polícia, Hamraoui relata não ter identificado se alguém as seguia). A janta ocorre com normalidade e não se nota nenhuma tensão entre a equipe.

22h00 - Jogadoras deixam o restaurante. Diallo dirige o Corolla com as mesma passageiras a bordo. Hamraoui no banco do passageiro e Karchaoui nos bancos de trás.

22h30 - Karchaoui é deixada em casa e a dupla segue rumo à Chatou, onde vivem. Em uma rua "um pouco larga e de duas mãos", aproximam-se de um caminhão bastante alto que estava estacionado à esquerda da calçada. Dois homens, vestindo máscaras de esqui pretas, aparecem. Hamraoui relata não ter identificado nenhuma arma neste momento. Um dos homens grita "Abram a porta! Abram a porta!" e começa o ataque:

"O homem ao meu lado me agarrou e me tirou do veículo. Antes, pegou uma barra de ferro retangular que tinha escondida em sua calça ou casaco. Me bateu a primeira vez para sair do carro, caí na estrada e, depois, fui agredida várias vezes. Me batia nas pernas e eu tentava me proteger com as mãos"

Durante os momentos de agressão, tanto Hamraoui quanto Diallo ouvem a frase sobre o 'homem casado' (o que fez a polícia colocar Eric Abidal e sua esposa como suspeitos). Depois, ambos os homens entraram em seu veículo e fugiram, as jogadoras os perderam de vista.

A investigação, neste momento, se concentra na figura de Hayet Abidal, esposa do ex-jogador, que, segundo os meios de comunicação franceses, seria a autora intelectual do ocorrido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos