Hamilton: renovação com Mercedes é "provavelmente" uma formalidade

Luke Smith
·3 minuto de leitura

Enquanto Valtteri Bottas já está com contrato garantido para correr pela Mercedes na Fórmula 1 em 2021, Lewis Hamilton segue em seu último ano do acordo, sem um anúncio oficial de sua permanência. Mas o britânico segue tranquilo quanto a isso, falando que essa discussão "não é uma prioridade no momento", sendo "provavelmente" uma formalidade.

Ao longo do ano, Hamilton vem reiterando que não tem intenções de deixar a equipe e todo o paddock vê essa renovação como uma questão de tempo, já que o hexacampeão não teria opções no mesmo nível da Mercedes para ir no próximo ano.

Leia também:

F1: Bottas comanda dobradinha da Mercedes no movimentado primeiro treino livre para o GP de Portugal F1: Mercedes faz mudança nos motores após problema com Bottas F1: Mercedes não terá DED nos treinos do GP de Portugal

Recentemente, ele havia falado que não tinha pressa em discutir a sua situação contratual em meio à pandemia que vem afetando todo o mundo. Perguntado na quinta-feira sobre onde essa discussão se encontrava, Hamilton disse que ele e a Mercedes "ainda não falaram muito sobre isso".

"Uma formalidade? Não sei, talvez, provavelmente. Em algum ponto acredito que sentaremos para falar sobre isso. Mas não é uma prioridade no momento. Quero resolver as coisas desse ano. Essa é a minha prioridade. Esse é o meu foco no momento".

Hamilton está a caminho de igualar os sete títulos mundiais de Michael Schumacher neste ano. No momento, ele lidera o campeonato com 69 pontos de vantagem para Bottas com seis corridas restantes.

Agora, ele divide o recorde de maior número de vitórias na F1 com o alemão após vencer o GP de Eifel em Nurburgring.

Anteriormente, os contratos de Hamilton com a Mercedes sempre foram de três anos, mas disse que há vários fatores para considerar a duração de seu próximo acordo, incluindo a pandemia e a pressão financeira que as companhias sofrem no momento.

"Como eu disse, não tomei nenhuma decisão", disse Hamilton ao Motorsport.com. "Eu quero ficar, e acho que quando sentarmos, para planejar, normalmente são três anos, mas agora estamos em um momento diferente".

"Também tenho que considerar se quero seguir por três anos. Ainda há muitas questões que precisam de respostas, e ainda teremos uma nova era em 2022 com o novo carro. E isso me anima, as possibilidades que teremos em 2022".

"Se olharmos a curto prazo, pode-se dizer que há companhias que vão fechar nesse período. A Mercedes, eu diria que já está em recuperação. Eles estão em um momento melhor, mas todos sofreram neste ano".

"Mas vejo um futuro mais brilhante. Teremos mudanças. Veja Ola [Kallenius, CEO da Daimler] com um novo plano que coloca a Mercedes em um caminho de sustentabilidade, de carros mais elétricos, assim como a AMG".

"Acho que ganhei o direito de poder ficar por um tempo. Mas apenas o tempo irá dizer. Com sorte, teremos atualizações nos próximos meses".

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Neste fim de semana, a F1 visita Portimão para o GP de Portugal. E em uma prova onde adaptação é essencial, Mercedes e Hamilton podem respirar aliviados: o piloto ou a equipe venceram a edição inaugural das quatro últimas provas novas. Ele venceu em Mugello, Sochi e Austin. Já Rosberg venceu em Baku. Parece uma aposta certa, não? Quer saber mais? Confira o ThePlayer.com e não perca nada!

CEO da F1 cita outros esportes e diz que categoria não pode usar “camisa de força” contra mudanças

Podcast – O mercado da F1 para 2021 e os 30 anos do bicampeonato de Senna

Your browser does not support the audio element.