Hamilton questiona Fórmula 1 em polêmica de limite de gastos

Hamilton falou sobre a polêmica do teto de gastos das equipes de Fórmula 1. Foto: Dan Istitene/Getty Images
Hamilton falou sobre a polêmica do teto de gastos das equipes de Fórmula 1. Foto: Dan Istitene/Getty Images

Lewis Hamilton afirma que a integridade da Fórmula 1 será perdida se a FIA não punir qualquer violação do limite de custos do esporte.

A questão dos regulamentos de gastos, fixado em 114 milhões de libras (R$ 666 milhões) para 2021, se aplica ao desenvolvimento de carros e capacidade de desempenho e tem sido o assunto do paddock desde que relatos na Itália na semana passada alegaram que a Red Bull pode ter gasto demais, algo que eles negaram veementemente.

Leia também:

O jornal britânico Sportsmail revelou com exclusividade que o primeiro campeonato de Max Verstappen não corre o risco de ser desfeito, mas, no entanto, há um grande interesse nos números finais de gastos, principalmente na garagem da Mercedes.

Um anúncio sobre as contas estava previsto para a última quarta-feira (5), mas foi adiado até segunda-feira pela FIA e Hamilton está convencido de que qualquer violação acima de £ 114 milhões não pode ficar impune se o esporte continuar a ser visto como aberto, honesto e confiável.

"Acho que é imperativo, honestamente, apenas por transparência", disse Hamilton.

“Gostaria de pensar que, se foi adiado, é porque foi levado muito a sério e acredito que Mohammed (bin Sulayem) está levando a sério e fará o que é certo para o esporte, espero”, seguiu.

Hamilton deliberadamente não nomeou a Red Bull em sua coletiva de imprensa nesta quinta-feira (6) em meio à polêmica de limite de orçamento em andamento, mas não tem ilusões de quanto seu rival pelo título do ano passado gastou em atualizações na temporada passada.

“Se tivéssemos mais meio milhão para gastar, estaríamos em uma posição diferente em algumas das corridas seguintes se tivéssemos comprado outro andar, o que poderíamos ter feito facilmente, mas esse não é o nome do jogo. Estou grato que nossa equipe seja muito rigorosa, dada a maneira como trabalhamos e eles fazem um trabalho incrível. Então precisa ser levado a sério como eu disse”, desabafou o heptacampeão mundial.

Em outra parte da entrevista, Hamilton revelou que seu futuro na Mercedes, embora não tenha dúvidas, ainda está sendo resolvido.

“Eu estou me sentindo bem. Eu amo o que estou fazendo. Temos muito trabalho a fazer, muito a conquistar ainda. Então eu não estou planejando ir a lugar nenhum, tão cedo. Pretendo ficar mais tempo. Só não está definido quanto tempo”, finalizou.