Hamilton quer participar de grupo interessado na compra do United

Piloto multicampeão na Fórmula 1 já tem participação em time de futebol americano

Lewis Hamilton pode fazer parte de grupo interessado na aquisição do Manchester United. Foto: Heuler Andrey/Eurasia Sport Images/Getty Images
Lewis Hamilton pode fazer parte de grupo interessado na aquisição do Manchester United. Foto: Heuler Andrey/Eurasia Sport Images/Getty Images

A lenda da Fórmula 1, Lewis Hamilton, pode estar envolvida em uma oferta bilionária para comprar o Manchester United se Sir Jim Ratcliffe tentar fechar um acordo.

A família Glazer, atual dona do clube, finalmente anunciou no final do ano passado que estava "explorando oportunidades estratégicas" após muita pressão de torcedores insatisfeitos. O fato de sua declaração não descartar a venda total do clube também foi motivo de empolgação para quem quer ver uma mudança no topo de Old Trafford.

Leia também:

Naturalmente, a lista de pessoas físicas e jurídicas vinculadas a uma oferta pública de aquisição é longa. Grandes marcas como Apple e Amazon foram apontadas como possíveis partes interessadas, junto com vários bilionários de todo o mundo.

Um deles é o homem mais rico da Grã-Bretanha, Sir Jim Ratcliffe. O bilionário de 70 anos é torcedor do clube e já cogitou publicamente a ideia de lançar uma oferta de aquisição do United no passado.

A atualização mais recente sobre a propriedade do clube foi que uma venda poderia acontecer "muito em breve" no que seria um "momento sísmico" no futebol inglês. E se o executivo-chefe da INEOS, Ratcliffe, enviar uma oferta oficial, Hamilton poderá fazer parte dela.

O heptacampeão mundial de Fórmula 1 e Ratcliffe se conhecem muito bem. INEOS é o principal patrocinador de sua equipe Mercedes, mas sua associação não termina aí. Ratcliffe também é um parceiro de propriedade igualitária da equipe, juntamente com o Grupo Daimler e o chefe da equipe, Toto Wolff.

No ano passado, Hamilton se inscreveu para fazer parte do consórcio liderado por Sir Martin Broughton na tentativa malsucedida de Ratcliffe de comprar o Chelsea. A julgar pelos comentários que ele fez em setembro passado sobre o interesse de Ratcliffe no United, Hamilton pode estar disposto a fazer o mesmo novamente.

"Ainda não recebi uma ligação dele perguntando se quero me envolver em [uma oferta pública de aquisição da United], mas quero me envolver cada vez mais em equipes porque realmente acredito na propriedade negra - há uma falta disso nos esportes - e na equidade negra", explicou o multicampeão nas pistas.

Chegando ao fim de sua carreira na F1, Hamilton, de 38 anos, vem expandindo seu império de negócios. Além de sua participação nos Denver Broncos, da NFL, o britânico tem sua própria produtora de filmes, sua marca de roupas e vários investimentos, incluindo empresas veganas e o aplicativo de compras online Zapp.

Ratcliffe fez fortuna com seu próprio negócio e também está fortemente envolvido com esportes. Ele já está envolvido no futebol europeu como proprietário da Ligue 1 do Nice e do suíço Lausanne Sport, enquanto também dirige a equipe de ciclismo INEOS Grenadiers, anteriormente conhecida como Team Sky.